||  Início  ->  Pão da Vida Eterna

Pão da Vida Eterna (05-08-2012)

Primeira Leitura:
PENTATEUCO: Livro do Êxodo (Ex), capítulo 16
(2) Toda a assembléia dos israelitas pôs-se a murmurar contra Moisés e Aarão no deserto. (3) Disseram-lhes: “Oxalá tivéssemos sido mortos pela mão do Senhor no Egito, quando nos assentávamos diante das panelas de carne e tínhamos pão em abundância! Vós nos conduzistes a este deserto, para matardes de fome toda esta multidão.” (4) O Senhor disse a Moisés: “Vou fazer chover pão do alto do céu. Sairá o povo e colherá diariamente a porção de cada dia. Pô-lo-ei desse modo à prova, para ver se andará ou não segundo minhas ordens. (5) No sexto dia, quando prepararem o que tiverem ajuntado haverá o dobro do que recolhem cada dia.” (6) Moisés e Aarão disseram a todos os israelitas: “Esta tarde, sabereis que foi o Senhor quem vos tirou do Egito, (7) e amanhã pela manhã vereis a sua glória, porque ele ouviu as vossas murmurações contra ele. Nós, porém, quem somos nós para que murmureis contra nós?” (8) Moisés disse: “Isso acontecerá quando o Senhor vos der, esta tarde, carne para comerdes e, amanhã pela manhã, pão em abundância, porque ele ouviu as murmurações que proferistes contra ele. Nós, porém, quem somos? Não é contra nós que murmurastes, mas contra o Senhor.” (9) Moisés disse a Aarão: “Dize a toda a assembléia dos israelitas: apresentai-vos diante do Senhor, porque ele ouviu vossas murmurações”. (10) Enquanto Aarão falava a toda a assembléia dos israelitas, olharam para o deserto e eis que apareceu na nuvem a glória do Senhor! (11) E o Senhor disse a Moisés: (12) “Ouvi as murmurações dos israelitas. Dize-lhes: esta tarde, antes que escureça, comereis carne e, amanhã de manhã, vos fartareis de pão, e sabereis que sou o Senhor, vosso Deus”. (13) À tarde, com efeito, subiram codornizes (do horizonte) e cobriram o acampamento, e, no dia seguinte pela manhã, havia uma camada de orvalho em torno de todo o acampamento. (14) E, tendo evaporado esse orvalho, eis que sobre a superfície do deserto estava uma coisa miúda, granulosa, miúda como a geada sobre a terra! (15) Vendo isso, disseram os filhos de Israel uns aos outros: “Que é isso?”, pois não sabiam o que era. Moisés disse-lhes: “Este é o pão que o Senhor vos manda para comer.

Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola aos Efésios (Ef), capítulo 4
(17) Portanto, eis o que digo e conjuro no Senhor: não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas idéias frívolas. (18) Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus. (19) Indolentes, entregaram-se à dissolução, à prática apaixonada de toda espécie de impureza. (20) Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, (21) se é que o ouvistes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus. (22) Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. (23) Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, (24) e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São João (Jo), capítulo 6
(24) E, reparando a multidão que nem Jesus nem os seus discípulos estavam ali, entrou nas barcas e foi até Cafarnaum à sua procura.
(25) Encontrando-o na outra margem do lago, perguntaram-lhe: Mestre, quando chegaste aqui?
(26) Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: buscais-me, não porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e ficastes fartos.
(27) Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que dura até a vida eterna, que o Filho do Homem vos dará. Pois nele Deus Pai imprimiu o seu sinal.
(28) Perguntaram-lhe: Que faremos para praticar as obras de Deus?
(29) Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou.
(30) Perguntaram eles: Que milagre fazes tu, para que o vejamos e creiamos em ti? Qual é a tua obra?
(31) Nossos pais comeram o maná no deserto, segundo o que está escrito: Deu-lhes de comer o pão vindo do céu (Sl 77,24).
(32) Jesus respondeu-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai é quem vos dá o verdadeiro pão do céu,
(33) porque o pão de Deus é o pão que desce do céu e dá vida ao mundo.
(34) Disseram-lhe: Senhor, dá-nos sempre deste pão!
(35) Jesus replicou: Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede.
Homilia do Padre Paulo Ricardo : PLAYER AQUI
Homilia do Padre José Ruy:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares
Ver Homilia do Pe. Françoá Costa
Canção Nova: Homilia

Alimento de Vida Eterna

Em grego existem três palavras para "vida". Bios (βίος) que seria a vida como quantidade. Seu inimigo é a morte. Pyché (ψυχή) é a vida como qualidade. Seu inimigo é o tédio, o comodismo burguês, a falta de sentido de vida. São duas dimensões da vida humana, são dons de Deus. Mas não bastam. Nós queremos mais. Queremos uma Vida divina que se identifica com o Amor eterno. Esta vida chama-se Zoé (ζωή). Foi esta Vida-Amor que se fez carne e entrou em nossas vidas com Jesus Cristo.

Somente quem tem fé é capaz de se alimentar da fonte de vida nova que é o Amor. Somente que é capaz de enxergar a Vida escondida no escândalo da Cruz irá se alimentar do verdadeiro Amor, do Amor que é fonte de Vida.

Padre Paulo Ricardo