||  Início  ->  A Assunção de Maria Santíssima

A Assunção de Maria Santíssima (19-08-2012)

Primeira Leitura:
APOCALIPSE: Apocalipse de São João (Ap), capítulo 11
(19) Abriu-se o templo de Deus no céu e apareceu, no seu templo, a arca do seu testamento. Houve relâmpagos, vozes, trovões, terremotos e forte saraiva.
APOCALIPSE: Apocalipse de São João (Ap), capítulo 12
(1) Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. (2) Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz. (3) Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas. (4) Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Esse Dragão deteve-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim de que, quando ela desse à luz, lhe devorasse o filho. (5) Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono. (6) A Mulher fugiu então para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um retiro para aí ser sustentada por mil duzentos e sessenta dias. (7) Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, (8) mas não prevaleceram. E já não houve lugar no céu para eles. (9) Foi então precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele os seus anjos. (10) Eu ouvi no céu uma voz forte que dizia: Agora chegou a salvação, o poder e a realeza de nosso Deus, assim como a autoridade de seu Cristo, porque foi precipitado o acusador de nossos irmãos, que os acusava, dia e noite, diante do nosso Deus.

Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Primeira Epístola aos Coríntios (1Cor), capítulo 15
(20) Mas não! Cristo ressuscitou dentre os mortos, como primícias dos que morreram! (21) Com efeito, se por um homem veio a morte, por um homem vem a ressurreição dos mortos. (22) Assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão. (23) Cada qual, porém, em sua ordem: como primícias, Cristo, em seguida, os que forem de Cristo, na ocasião de sua vinda. (24) Depois, virá o fim, quando entregar o Reino a Deus, ao Pai, depois de haver destruído todo principado, toda potestade e toda dominação. (25) Porque é necessário que ele reine, até que ponha todos os inimigos debaixo de seus pés. (26) O último inimigo a derrotar será a morte, porque Deus sujeitou tudo debaixo dos seus pés. (27) Mas, quando ele disser que tudo lhe está sujeito, claro é que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Lucas (Lc), capítulo 1
(39) Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá.
(40) Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel.
(41) Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
(42) E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.
(43) Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?
(44) Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio.
(45) Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!
(46) E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor,
(47) meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador,
(48) porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações,
(49) porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo.
(50) Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem.
(51) Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos.
(52) Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes.
(53) Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos.
(54) Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia,
(55) conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre.
(56) Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois voltou para casa.
Homilia do Padre Paulo Ricardo : PLAYER AQUI
Homilia do Padre José Ruy:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares
Ver Homilia do Pe. Françoá Costa
Canção Nova: Homilia

A Glória que está conosco

"Maria, quando subiu aos céus em corpo e alma, não foi afastada da Igreja e da humanidade. Plenamente redimida e configurada ao Cristo ressuscitado, a sua divina maternidade se alarga do Filho Jesus a todos os seus discípulos. Mais ainda, a humanidade inteira encontra nela a mãe de todos os viventes".

"A sua condição celeste tornou-a próxima. Para a nossa imaginação, estar na glória poderia nos fazer pensar numa distância daquilo que existe ainda no tempo; mas na verdade é o contrário: a glória inclui o tempo, o supera e também o abraça. As aparições da Virgem são como se a glória se apresentasse e se fizesse entrever de forma especial e em certa medida sensível dentro de nossos limites, marcados pelo espaço e envolvidos pelo tempo: limites comparáveis a um fino véu que em alguns casos se abre ao mundo celeste, ou seja, ao mundo do Senhor ressuscitado e de seus santos".

(Tradução de parte do artigo de Inos Biffi, La gloria vicina e familiare dell’ancella, in L'Osservatore Romano, edição diária em italiano, 14 de agosto de 2012)

Padre Paulo Ricardo