||  Início  ->  A Cruz

A Cruz (16-09-2012)

Primeira Leitura:
PROFETAS MAIORES: Livro de Isaías (Is), capítulo 50
(5) (o Senhor Deus abriu-me o ouvido) e eu não relutei, não me esquivei. (6) Aos que me feriam, apresentei as espáduas, e as faces àqueles que me arrancavam a barba, não desviei o rosto dos ultrajes e dos escarros. (7) Mas o Senhor Deus vem em meu auxílio: eis por que não me senti desonrado, enrijeci meu rosto como uma pedra, convicto de não ser desapontado. (8) Aquele que me fará justiça aí está. Quem ousará atacar-me? Vamos medir-nos! Quem será meu adversário? Que se apresente! (9) O Senhor Deus vem em meu auxílio: quem ousaria condenar-me? Cairão em frangalhos como um manto velho, a traça os roerá.

Segunda Leitura:
EPISTOLAS CATÓLICAS: Epístola de São Tiago (Tg), capítulo 2
(14) De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo? (15) Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano, (16) e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará? (17) Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma. (18) Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Marcos (Mc), capítulo 8
(27) Jesus saiu com os seus discípulos para as aldeias de Cesaréia de Filipe, e pelo caminho perguntou-lhes: Quem dizem os homens que eu sou?
(28) Responderam-lhe os discípulos: João Batista, outros, Elias, outros, um dos profetas.
(29) Então perguntou-lhes Jesus: E vós, quem dizeis que eu sou? Respondeu Pedro: Tu és o Cristo.
(30) E ordenou-lhes severamente que a ninguém dissessem nada a respeito dele.
(31) E começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem padecesse muito, fosse rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e pelos escribas, e fosse morto, mas ressuscitasse depois de três dias.
(32) E falava-lhes abertamente dessas coisas. Pedro, tomando-o à parte, começou a repreendê-lo.
(33) Mas, voltando-se ele, olhou para os seus discípulos e repreendeu a Pedro: Afasta-te de mim, Satanás, porque teus sentimentos não são os de Deus, mas os dos homens.
(34) Em seguida, convocando a multidão juntamente com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém me quer seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.
(35) Porque o que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas o que perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho, salvá-la-á.
Homilia do Padre Paulo Ricardo : PLAYER AQUI
Homilia do Padre José Ruy:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares
Ver Homilia do Pe. Françoá Costa
Canção Nova: Homilia

 

A Parresía da Cruz

O evangelho de São Marcos é uma viagem que nos conduz aos pés da Cruz, para professarmos com o centurião: “verdadeiramente este homem era Filho de Deus” (Mc 15,39).

Na passagem deste domingo, encontra-se no meio deste itinerário. Os discípulos já perceberam que Jesus não é apenas um taumaturgo, ou um dos profetas antigos. É assim que São Pedro professa sua fé em Jesus como Messias, o Cristo, o Ungido.

Mas Nosso Senhor percebe quanto caminho São Pedro ainda precisa percorrer. Por isto, a pesar de sua profissão de fé ortodoxa, proíbe que os discípulos falem a seu respeito, enquanto proclama, paradoxalmente, a sua morte na cruz. E isto com total “abertura” (παρρησί).

É ao chegar no Mistério Pascal, o Mistério da Paixão e Ressurreição de Nosso Senhor, que São Pedro encontrará o lugar de uma fé madura.

Mas ainda não chegamos lá. Por hora, o Príncipe dos Apóstolos se comporta como um satan, um “inimigos da cruz de Cristo” (Fl 3,18), e não ainda não aprendeu a sabedoria e a felicidade imensa de ser um outro Cristo e dar a vida para poder salvá-la.

Padre Paulo Ricardo