||  Início  ->  Família: Caminho de Santidade

Família: Caminho de Santidade (30-12-2012)

Primeira Leitura:
SAPIENCIAL: Livro do Eclesiástico (Eclo), capítulo 3
(3) Pois Deus quis honrar os pais pelos filhos, e cuidadosamente fortaleceu a autoridade da mãe sobre eles. (4) Aquele que ama a Deus o roga pelos seus pecados, acautela-se para não cometê-los no porvir. Ele é ouvido em sua prece cotidiana. (5) Quem honra sua mãe é semelhante àquele que acumula um tesouro. (6) Quem honra seu pai achará alegria em seus filhos, será ouvido no dia da oração. (7) Quem honra seu pai gozará de vida longa, quem lhe obedece dará consolo à sua mãe. (8) Quem teme ao Senhor honra pai e mãe. Servirá aqueles que lhe deram a vida como a seus senhores. (9) Honra teu pai por teus atos, tuas palavras, tua paciência, (10) a fim de que ele te dê sua bênção, e que esta permaneça em ti até o teu último dia. (11) A bênção paterna fortalece a casa de seus filhos, a maldição de uma mãe a arrasa até os alicerces. (12) Não te glories do que desonra teu pai, pois a vergonha dele não poderia ser glória para ti, (13) pois um homem adquire glória com a honra de seu pai, e um pai sem honra é a vergonha do filho. (14) Meu filho, ajuda a velhice de teu pai, não o desgostes durante a sua vida. (15) Se seu espírito desfalecer, sê indulgente, não o desprezes porque te sentes forte, pois tua caridade para com teu pai não será esquecida, (16) e, por teres suportado os defeitos de tua mãe, ser-te-á dada uma recompensa, (17) tua casa tornar-se-á próspera na justiça. Lembrar-se-ão de ti no dia da aflição, e teus pecados dissolver-se-ão como o gelo ao sol forte.

Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola aos Colossenses (Cl), capítulo 3
(12) Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência. (13) Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós. (14) Mas, acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. (15) Triunfe em vossos corações a paz de Cristo, para a qual fostes chamados a fim de formar um único corpo. E sede agradecidos. (16) A palavra de Cristo permaneça entre vós em toda a sua riqueza, de sorte que com toda a sabedoria vos possais instruir e exortar mutuamente. Sob a inspiração da graça cantai a Deus de todo o coração salmos, hinos e cânticos espirituais. (17) Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. (18) Mulheres, sede submissas a vossos maridos, porque assim convém, no Senhor. (19) Maridos, amai as vossas mulheres e não as trateis com aspereza. (20) Filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto agrada ao Senhor. (21) Pais, deixai de irritar vossos filhos, para que não se tornem desanimados.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Lucas (Lc), capítulo 2
(41) Seus pais iam todos os anos a Jerusalém para a festa da Páscoa.
(42) Tendo ele atingido doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa.
(43) Acabados os dias da festa, quando voltavam, ficou o menino Jesus em Jerusalém, sem que os seus pais o percebessem.
(44) Pensando que ele estivesse com os seus companheiros de comitiva, andaram caminho de um dia e o buscaram entre os parentes e conhecidos.
(45) Mas não o encontrando, voltaram a Jerusalém, à procura dele.
(46) Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os.
(47) Todos os que o ouviam estavam maravilhados da sabedoria de suas respostas.
(48) Quando eles o viram, ficaram admirados. E sua mãe disse-lhe: Meu filho, que nos fizeste?! Eis que teu pai e eu andávamos à tua procura, cheios de aflição.
(49) Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?
(50) Eles, porém, não compreenderam o que ele lhes dissera.
(51) Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração.
(52) E Jesus crescia em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens.
Homilia do Padre Paulo Ricardo : PLAYER AQUI
Homilia do Padre José Ruy:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Mons. José Maria
Canção Nova: Homilia

A Liberdade de Ser Submisso

O relacionamento de Jesus com o seu Pai do céu ilumina de forma extraordinária o mistério da família. A instituição familiar tem seu fundamento na natureza humana. No entanto, através da Encarnação do Filho de Deus, os relacionamentos familiares recebem uma nova luz.

Não é olhando para a família que nós compreenderemos o mistério da Trindade, mas sim o contrário. É no relacionamento de Jesus com seu Pai do céu que nos são revelados tanto o mistério da Trindade como o da família.

Jesus, “cuidando das coisas de seu Pai”, nos revela o fundamento e a prioridade em nossas relações familiares.

“É por isso que eu dobro os joelhos diante do Pai, de quem recebe o nome toda família (πατριά), no céu e na terra” (Ef 3, 14-15).

Esta frase de São Paulo é talvez o melhor comentário ao evangelho deste Domingo da Sagrada Família. Quando todos os membros da família dobram seus joelhos diante do Pai do céu, as relações de mútua doação que constituem a essência da família recebem uma âncora, um fundamento e um ponto de equilíbrio.

Como Maria, devemos meditar sobre isto e aprender o mistério da família.

Aprendamos com Jesus que, aos doze anos de idade (Bar Mitzvah – filho do mandamento), demonstra que já sabe ouvir a vontade do Pai. É esta escuta quem irá credenciá-lo para ensinar até mesmo aos doutores. E é esta mesma escuta quem irá lhe conferir a liberdade de se submeter aos seus pais terrenos.

“Convém antes obedecer a Deus do que aos homens” (At 5, 29).

Somente na submissão a Deus nossas famílias deixarão de ser um palco de uma triste “luta de classes”, onde nos devoramos mutuamente para alcançar um “poder” e uma “liberdade” que mais nos escraviza do que liberta.

Padre Paulo Ricardo