||  Início  ->  Homilia do Falar e Fazer

Homilia do Nono Domingo do Tempo Comum: Falar e Fazer, A Construção da Casa (06/03/2011)

Primeira Leitura:
PENTATEUCO: Livro do Deuteronômio (Dt), capítulo 11
(18) Gravai, pois, profundamente em vosso coração e em vossa alma estas minhas palavras, prenderas às vossas mãos como um sinal, e levaras como uma faixa frontal entre os vossos olhos. (19) Ensinai-as aos vossos filhos, falando-lhes delas seja em vossa casa, seja em viagem, quando vos deitardes ou levantardes. (20) Escreve-as nas ombreiras e nas portas de tua casa, (21) para que se multipliquem os teus dias e os dias de teus filhos na terra que o Senhor jurou dar a teus pais, e sejam tão numerosos como os dias do céu sobre a terra. (22) Se observardes fielmente todos os mandamentos que vos prescrevo, amando o Senhor, vosso Deus, andando em seus caminhos e apegando-vos a ele, (23) então o Senhor expulsará de diante de vós todas essas nações, e despojareis povos mais numerosos e mais fortes do que vós. (24) Todo lugar em que pisar a planta de vossos pés vos pertencerá. Vossa fronteiras irão desde o deserto até o Líbano e desde o rio Eufrates até o mar do ocidente. (25) Ninguém vos poderá resistir: o Senhor, vosso Deus, semeará o pânico e o terror de vós em todas as terras onde pisardes, como vos prometeu. (26) Vede: proponho-vos hoje bênção ou maldição. (27) Bênção, se obedecerdes aos mandamentos do Senhor, vosso Deus, que hoje vos prescrevo. (28) Maldição, se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor, vosso Deus, e vos apartardes do caminho que hoje vos mostro, para seguintes deuses estranhos que não conheceis. (29) Quando o Senhor, vosso Deus, te tiver introduzido na terra que vais possuir, pronunciarás a bênção sobre o monte Garizim, e a maldição sobre o monte Ebal. (30) Essas montanhas encontram-se além do Jordão, do outro lado do caminho do ocidente, na terra dos cananeus que habitam nas planícies defronte de Gálgala, perto dos carvalhos de Moré. (31) Com efeito, vós passareis o Jordão e tomareis posse da terra que te dá o Senhor. Quando a possuirdes e nela habitardes, (32) cuidareis de praticar todos os preceitos e todas as leis que hoje vos proponho.
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola de São Paulo aos Romanos (Rm), capítulo 3
(21) Mas, agora, sem o concurso da lei, manifestou-se a justiça de Deus, atestada pela lei e pelos profetas. (22) Esta é a a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo, para todos os fiéis (pois não há distinção, (23) com efeito, todos pecaram e todos estão privados da glória de Deus), (24) e são justificados gratuitamente por sua graça, tal é a obra da redenção, realizada em Jesus Cristo. (25) Deus o destinou para ser, pelo seu sangue, vítima de propiciação mediante a fé. Assim, ele manifesta a sua justiça, porque no tempo de sua paciência, ele havia deixado sem castigo os pecados anteriores.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Mateus (Mt), capítulo 7
(21) Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.
(22) Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não pregamos nós em vosso nome, e não foi em vosso nome que expulsamos os demônios e fizemos muitos milagres?
(23) E, no entanto, eu lhes direi: Nunca vos conheci. Retirai-vos de mim, operários maus!
(24) Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha.
(25) Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa, ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha.
(26) Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia.
(27) Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa, ela caiu e grande foi a sua ruína.
(405) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI
No Sermão a Montanha Jesus traça sua própria imagem. É ele o homem que construiu a casa sobre a rocha da obediência até a morte e morte de cruz. Iluminada pelo mistério pascal, também a nossa obediência pode ser redentora. A pesar das chuvas, das enchentes e dos ventos, o cristão sabe abraçar a cruz do dia a dia e caminhar para a ressurreição.
O Falar e o Fazer, a Construção da Casa
9º domingo do tempo comum, 06/03/2011
Catequese Bíblico-Missionária

A Liturgia da Palavra nos convida a refletir sobre a construção da nossa vida tendo como alicerce fundamental a vontade de Deus revelada na Bíblia. O acolher a vontade de Deus, a vivência da fé, deve nortear toda a nossa vida, o nosso modo de ser, pensa/ e agir, em todos os momentos e em todas as circunstâncias. É a vivência da Palavra de Deus que nos dá força e resistência para superarmos todos os obstáculos que nos impedem de viver dignamente segundo à imagem e semelhança de Deus.

Comunidade apostólica
No Evangelho de hoje vemos Jesus, após o sermão das bem-aventuranças, colocando os critérios que identificam o verdadeiro discípulo. O seguimento a Jesus e a sua proposta somente são verdadeiros quando assumidos com coerência e se tornam gestos concretos que testemunham a vontade salvífica de Deus.
A parábola da construção da casa é muito significativa. Como construímos a nossa casa, a nossa morada, a nossa vida, sobre a rocha ou sobre a areia? A parábola é um convite a sermos construtores da nossa vida, a sermos arquitetos da nossa história.
O construir a vida sobre a rocha é o fundamentar em nossa vida sobre a proposta de Jesus, é ser prudente, e ter juízo, e ter segurança, porque mesmo diante das dificuldades que a vida nos apresenta (as tempestades, os ventos contrários), temos a vida preservada. O construir a casa sobre acareia é rejeitar à proposta de Deus, é o alicerçar a vida sem solidez, sem profundidade, é ser insensato, é o saber que está construindo algo que pode ser destruído facilmente. Numa linguagem própria dos pedreiros hoje, podemos dizer que é fazer gambiarra, ou seja, construir a nossa vida de modo improvisado e provisório, à mercê da própria sorte.
Construir a nossa morada tendo a Palavra de Deus como alicerce significa deixar Deus fazer morada em nós através da proposta do seu Reino, e que sua proposta é o inicio, o meio e fim da nossa existência.

Comunidade hoje
O que significa para nós hoje fazer da Palavra de Deus o alicerce fundamental de nossa vida? De outra forma, podemos nos questionar: É possível levar uma vida de insensato e construir a casa para ser depois destruída? Qual modelo de construção da vida vale a pena?
O construir a nossa vida fundamentada na fé é a escuta amorosa da Palavra de tal forma que ela penetre e envolva nossa vida, é o alimento que nos dá força e resistência para nosso caminhar. O construir a nossa vida e a nossa história a partir da fé significa que a fé, em primeiro lugar, não pode estar vazia de conteúdo. Esse conteúdo é a proposta do Reino de Deus, que coloca os valores (justiça, gratuidade, fraternidade, partilha, paz, mansidão,...), norteadores da nossa vida. Em segundo lugar, a fé é vivência, é gesto concreto, portanto ela não pode estar vazia de testemunho. O testemunho da fé nos leva a sairmos da indiferença da realidade e das necessidades dos nossos irmãos e irmãs, é ir ao encontro com sensibilidade transformadora para reconstruir a vida destruída pela injustiça e miséria.
A nossa fé não pode ser uma auto-anestesia diante das dificuldades e obstáculos da vida; ela é operante, é portadora de vida: não é insensatez, mas sabedoria que marca a construção de uma vida alicerçada na vontade de Deus.

Pe. Edvaldo Manuel de Araújo, C.Ss.R.