||  Início  ->  As Parábolas do Reino

As Parábolas do Reino - Joio e Trigo - Por que Existe o Mal no Mundo? (17/07/2011)

Primeira Leitura:
SAPIENCIAL: Livro da Sabedoria (Sb), capítulo 12
(13) Não há, fora de vós, um Deus que se ocupa de tudo, e a quem deveis mostrar que nada é injusto em vosso julgamentos, (14) nem um rei, nem um tirano que vos possa resistir em favor dos que castigastes. (15) Mas porque sois justo, governais com toda a justiça, e julgais indigno de vosso poder condenar quem não merece ser punido. (16) Porque vossa força é o fundamento de vossa justiça e o fato de serdes Senhor de todos, vos torna indulgente para com todos. (17) Mostrais vossa força aos que não crêem no vosso poder, e confundis os que a não conhecem e ousam afrontá-la. (18) Senhor de vossa força, julgais com bondade, e nos governais com grande indulgência, porque sempre vos é possível empregar vosso poder, quando quiserdes. (19) Agindo desta maneira, mostrastes a vosso povo que o justo deve ser cheio de bondade, e inspirastes a vossos filhos a boa esperança de que, após o pecado, lhes dareis tempo para a penitência,
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola de São Paulo aos Romanos (Rm), capítulo 8
(26) Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis. (27) E aquele que perscruta os corações sabe o que deseja o Espírito, o qual intercede pelos santos, segundo Deus.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Mateus (Mt), capítulo 13
(24) Jesus propôs-lhes outra parábola: O Reino dos céus é semelhante a um homem que tinha semeado boa semente em seu campo.
(25) Na hora, porém, em que os homens repousavam, veio o seu inimigo, semeou joio no meio do trigo e partiu.
(26) O trigo cresceu e deu fruto, mas apareceu também o joio.
(27) Os servidores do pai de família vieram e disseram-lhe: - Senhor, não semeaste bom trigo em teu campo? Donde vem, pois, o joio?
(28) Disse-lhes ele: - Foi um inimigo que fez isto! Replicaram-lhe: - Queres que vamos e o arranquemos?
(29) - Não, disse ele, arrancando o joio, arriscais a tirar também o trigo.
(30) Deixai-os crescer juntos até a colheita. No tempo da colheita, direi aos ceifadores: arrancai primeiro o joio e atai-o em feixes para o queimar. Recolhei depois o trigo no meu celeiro.
(31) Em seguida, propôs-lhes outra parábola: O Reino dos céus é comparado a um grão de mostarda que um homem toma e semeia em seu campo.
(32) É esta a menor de todas as sementes, mas, quando cresce, torna-se um arbusto maior que todas as hortaliças, de sorte que os pássaros vêm aninhar-se em seus ramos.
(33) Disse-lhes, por fim, esta outra parábola. O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa.
(34) Tudo isto disse Jesus à multidão em forma de parábola. De outro modo não lhe falava,
(35) para que se cumprisse a profecia: Abrirei a boca para ensinar em parábolas, revelarei coisas ocultas desde a criação (Sl 77,2).
(36) Então despediu a multidão. Em seguida, entrou de novo na casa e seus discípulos agruparam-se ao redor dele para perguntar-lhe: Explica-nos a parábola do joio no campo.
(37) Jesus respondeu: O que semeia a boa semente é o Filho do Homem.
(38) O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do Maligno.
(39) O inimigo, que o semeia, é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos.
(40) E assim como se recolhe o joio para jogá-lo no fogo, assim será no fim do mundo.
(41) O Filho do Homem enviará seus anjos, que retirarão de seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal
(42) e os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes.
(43) Então, no Reino de seu Pai, os justos resplandecerão como o sol. Aquele que tem ouvidos, ouça.
(290) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI

Catequese Bíblico-Missionária

Jesus Cristo: Ontem

E Jesus continua ensinando em Parábolas e revelando atitudes importantes para se construir o Reino de Deus. Desde o início da humanidade uma pergunta sempre foi intrigante: como surgiu o mal? Na parábola do trigo e do joio transparece um pouco a diferença entre ser boa semente e pertencer ao Reino, e joio os que pertencem ao Maligno. Longe de ser um tratado sobre a origem do mal, Jesus quer mostrar que são nossas atitudes no campo do mundo que nos fazem participantes do bem ou do mal.

Hoje...

É comum ouvir: porque Deus permite que exista o mal no mundo? Porque não acaba com as pessoas más e porque fica de "braços-cruzados" diante de tantas injustiças, explorações, fome, doença, miséria e dor? Na parábola: porque não permite aos empregados arrancarem o joio do meio do trigo? Porque permite que os dois cresçam juntos no campo?

Na primeira leitura vimos que é a sabedoria de Deus que governa a história (Sb 10,19) e ensina ao povo "que o justo deve ser humano". São Paulo diz que: "o Espírito vem em socorro de nossa fraqueza". Todavia, mesmo com o auxílio do Espírito Santo e com o seu dom da sabedoria, temos a liberdade em ser ou não fermento, ou seja, praticar as obras de amor, justiça e misericórdia na massa que é a comunidade.

Deus quer salvar a todos e na sua infinita misericórdia permite que bons e maus caminhem juntos. E com o nosso modo de ser e agir podemos semear amor, carinho, dignidade e contribuir para que a semente boa cresça no mundo ou que o mal (joio) prevaleça em várias circunstâncias. Não cabe a Deus e sim a nós decidir nosso fim de acordo com esta parábola. Aqui é necessário entender um segredo dito por Jesus: "o homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração, mas o homem mau tira do seu mal coisas más" (Lc 6,45).

... e Sempre

Já dizia o pequeno príncipe: "só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos". Tudo começa no coração, pois na verdade a vida nos oferece várias opções e situações, nas quais podemos ser boa semente ou joio, tudo é uma questão de decisão. Jesus nos ensina que são nossas atitudes no campo do mundo que nos fazem participantes do bem ou do mal.

Pe. Francisco Albertin, Paragominas - PA