||  Início  ->  A humilhação da mulher cananeia

A humilhação e a persistência da mulher cananeia (14/08/2011)

Primeira Leitura:
PROFETAS MAIORES: Livro de Isaías (Is), capítulo 56
(1) Eis o que diz o Senhor: respeitai o direito e praticai a justiça, porque minha salvação não tarda a chegar e minha justiça a revelar-se. (2) Feliz do homem que assim se comporta, e o filho do homem que se atém a isso, que observa o sábado sem profaná-lo, e abstém-se de toda má ação. (3) Que o estrangeiro que deseja afeiçoar-se ao Senhor não diga: Certamente o Senhor vai excluir-me de seu povo. Que o eunuco não diga: Oh! sou apenas um lenho seco. (4) Porque eis o que diz o Senhor: aos eunucos que observarem meus sábados, que escolherem o que me é agradável, e se afeiçoarem à minha aliança, (5) eu darei na minha casa e dentro de minhas muralhas um monumento e um nome de mais valor que filhos e filhas, dar-lhes-ei um nome que jamais perecerá. (6) Quanto aos estrangeiros que desejam unir-se ao Senhor, para servi-lo e amar seu nome, para serem seus servos, se observarem o sábado sem profaná-lo, e se se afeiçoarem à minha aliança, (7) eu os conduzirei ao meu monte santo e os cumularei de alegria na minha casa de oração, seus holocaustos e sacrifícios serão aceitos sobre meu altar, pois minha casa chamar-se-á Casa de Orações para todos os povos.
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola de São Paulo aos Romanos (Rm), capítulo 11
(13) Declaro-o a vós, homens de origem pagã: como apóstolo dos pagãos, eu procuro honrar o meu ministério, (14) com o intuito de, eventualmente, excitar à emulação os homens da minha raça e salvar alguns deles. (15) Porque, se de sua rejeição resultou a reconciliação do mundo, qual será o efeito de sua reintegração, senão uma ressurreição dentre os mortos? (16) Se as primícias são santas, também a massa o é, e se a raiz é santa, os ramos também o são. (17) Se alguns dos ramos foram cortados, e se tu, oliveira selvagem, foste enxertada em seu lugar e agora recebes seiva da raiz da oliveira, (18) não te envaideças nem menosprezes os ramos. Pois, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. (19) Dirás, talvez: Os ramos foram cortados para que eu fosse enxertada. (20) Sem dúvida! É pela incredulidade que foram cortados, ao passo que tu é pela fé que estás firme. Não te ensoberbeças, antes teme. (21) Se Deus não poupou os ramos naturais, bem poderá não poupar a ti. (22) Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: severidade para com aqueles que caíram, bondade para contigo, suposto que permaneças fiel a essa bondade, do contrário, também tu serás cortada. (23) E eles, se não persistirem na incredulidade, serão enxertados, pois Deus é poderoso para enxertá-los de novo. (24) Se tu, cortada da oliveira de natureza selvagem, contra a tua natureza foste enxertada em boa oliveira, quanto mais eles, que são naturais, poderão ser enxertados na sua própria oliveira! (25) Não quero, irmãos, que ignoreis este mistério, para que não vos gabeis de vossa sabedoria: esta cegueira de uma parte de Israel só durará até que haja entrado a totalidade dos pagãos. (26) Então Israel em peso será salvo, como está escrito: Virá de Sião o libertador, apartará de Jacó a impiedade. (27) E esta será a minha aliança com eles, quando eu tirar os seus pecados (Is 59,20s, 27,9). (28) Se, quanto ao Evangelho, eles são inimigos de Deus, para proveito vosso, quanto à eleição eles são muito queridos por causa de seus pais. (29) Pois os dons e o chamado de Deus são irrevogáveis. (30) Assim como vós antes fostes desobedientes a Deus, e agora obtivestes misericórdia com a desobediência deles, (31) assim eles são incrédulos agora, em conseqüência da misericórdia feita a vós, para que eles também mais tarde alcancem, por sua vez, a misericórdia. (32) Deus encerrou a todos esses homens na desobediência para usar com todos de misericórdia.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Mateus (Mt), capítulo 15
(21) Jesus partiu dali e retirou-se para os arredores de Tiro e Sidônia.
(22) E eis que uma cananéia, originária daquela terra, gritava: Senhor, filho
(23) Jesus não lhe respondeu palavra alguma. Seus discípulos vieram a ele e lhe disseram com insistência: Despede-a, ela nos persegue com seus gritos.
(24) Jesus respondeu-lhes: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
(25) Mas aquela mulher veio prostrar-se diante dele, dizendo: Senhor, ajuda-me!
(26) Jesus respondeu-lhe: Não convém jogar aos cachorrinhos o pão dos filhos. _
(27) Certamente, Senhor, replicou-lhe ela, mas os cachorrinhos ao menos comem as migalhas que caem da mesa de seus donos...
(28) Disse-lhe, então, Jesus: Ó mulher, grande é tua fé! Seja-te feito como desejas. E na mesma hora sua filha ficou curada.
(461) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI

A Humilhação da Mulher Cananeia

O mistério pascal joga uma luz imensa neste evangelho de interpretação tão difícil. Vemos na mulher Cananeia um coração configurado ao de Cristo crucificado.

Nosso Senhor, em sua gloriosa Paixão, com imensa humildade e confiança, suporta as demoras do Pai que só atende as suas súplicas na manhã de Páscoa. Mas de forma maravilhosa, neste drama de amor, Jesus dá ao Pai e a nós o dom extraordinário de um coração criado que, finalmente, ama a Deus e aos irmãos desde nossa humanidade humilhada.

Mateus 15,21-28
Este é um evangelho especialmente difícil de interpretação. Jesus se afasta da terra santa e vai para a região de Tiro e Sidonia onde uma mulher Cananeia pede-lhe que livre sua filha atormentada por um demônio.
A reação de Jesus é surpreendente, pois parece indiferente. Primeiro Jesus não responde nada. Então, os discípulos intercedem e Jesus nega dizendo "fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel". A mulher porém prostra-se diante de Jesus e persiste. Jesus então reage de forma ainda mais brusca. Como a mulher insiste, admirado por sua fé, Ele enfim liberta a filha da mulher e enaltece sau fé..

Antes do sacrifício da cruz, Ele lava os pés dos discípulos, mostrando que quem ama se humilha.
Jesus define sua morte humilhante como um serviço, para nos salvar, para realizar o bem.
E isso ilumina o episódio da mulher Cananeia. Ela também se humilha para poder obter a libertação da filha. São o amor e a confiança que movem a mulher, fazendo-se pequenina e criatura que adora o criador, que aceita sua condição. Ela confia que Deus dá de comer às suas criaturas, mesmo não sendo dignas.
É essa atitude de humilhação e de pequenez diante de Deus que está a chave da explicação desse evangelho.

O silêncio de Deus nos humilha quando passamos pelo vale da morte, pela aridez que nos faz pensar que Deus está distante. E de onde tirar forças para persistir?
No próprio Deus, Jesus na cruz que desceu e se inclinou como escravo humilhado e lavou os pés dos discípulos.
Nós não podemos dizer que Deus não sabe como sofremos ou o que seja o sofrimento, pois Ele desceu até nós, ele veio até o vale da morte.
Na cruz Jesus suportou o silêncio do Pai !
Foi nosso pecado original que criou essa ilusão da distância de Deus.

No final do episódio, Jesus enaltece a atitude da mulher e glorifica sua fé, assim como Ele mesmo foi glorificado na ressurreição.
Ela é a chave de leitura da nossa humilhação, fazendo-nos notar que não estamos sozinhos.
Quando estou crucificado é Cristo que está em mim, vivendo crucificado.

A ressurreição de Jesus foi a resposta de Deus às súplicas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus retarda as vezes sua ação, porque quer seus filhos mostrem seu amor, pois Deus quer ser amado por nós; embora um amor frágil e dificultoso, Ele não o rejeita.
Se tudo fosse fácil, só orar e receber, como demonstraríamos amor e fidelidade a Deus? Quando Ele se esconde atrás de um véu de silêncio é porque Ele quer que O busquemos e com isso demonstremos nosso amor por Ele.
Deus quer que tenhamos sede dEle. "Minha alma tem sede de Deus", como diz o salmo. E que esse desejo se transforme numa demonstração de amor, como fez a mulher Cananeia.

Precisamos aprender a sofrer as demoras de Deus porque assim estamos fazendo como Jesus fez ao esperar a ressurreição após a cruz na manhã de Páscoa.
Que beleza é essa demora, por que somente nela podemos demonstrar nosso amor.
Para ter essa capacidade Cristo se fez homem e nos deu de presente o seu coração, onde vemos o coração fiel do filho que se prostra em adoração e confia.

Deus nos dá todas as graças e tudo o necessário para amar, mas só nós podemos fazê-lo.