||  Início  ->  Vigiai!

Vigiai! (27/11/2011)

Primeira Leitura:
PROFETAS MAIORES: Livro de Isaías (Is), capítulo 63
(16) porque sois nosso pai. Abraão, de fato, nos ignora, e Israel não nos conhece, sois vós, Senhor, o nosso pai, nosso Redentor desde os tempos passados. (17) Por que, Senhor, desviar-nos para longe de vossos caminhos, por que tornar nossos corações insensíveis ao vosso temor? Voltai, por amor de vossos servos e das tribos de vossa herança! (18) Por que pagãos invadiram vosso templo, e nossos inimigos pisaram vosso santuário? Há muito tempo estamos como gente que já não governais, e que não traz vosso nome.
PROFETAS MAIORES: Livro de Isaías (Is), capítulo 62
(2) As nações verão então tua vitória, e todos os reis teu triunfo. Receberás então um novo nome, determinado pela boca do Senhor. (3) E tu serás uma esplêndida coroa na mão do Senhor, um diadema real entre as mãos do teu Deus, (4) não mais serás chamada a desamparada, nem tua terra, a abandonada, serás chamada: minha preferida, e tua terra: a desposada, porque o Senhor se comprazerá em ti e tua terra terá um esposo, (5) assim como um jovem desposa uma jovem, aquele que te tiver construído te desposará, e como a recém-casada faz a alegria de seu marido, tu farás a alegria de teu Deus. (6) Sobre tuas muralhas, Jerusalém, coloquei vigias, nem de dia nem de noite devem calar-se. Vós, que deveis manter desperta a memória do Senhor, não vos concedais descanso algum (7) e não o deixeis em paz, até que tenha restabelecido Jerusalém para dela fazer a glória da terra.
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Primeira Epístola aos Coríntios (1Cor), capítulo 1
(3) a vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo! (4) Não cesso de agradecer a Deus por vós, pela graça divina que vos foi dada em Jesus Cristo. (5) Nele fostes ricamente contemplados com todos os dons, com os da palavra e os da ciência, (6) tão solidamente foi confirmado em vós o testemunho de Cristo. (7) Assim, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, não vos falta dom algum. (8) Ele há de vos confirmar até o fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. (9) Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Marcos (Mc), capítulo 13
(33) Ficai de sobreaviso, vigiai, porque não sabeis quando será o tempo.
(34) Será como um homem que, partindo em viagem, deixa a sua casa e delega sua autoridade aos seus servos, indicando o trabalho de cada um, e manda ao porteiro que vigie.
(35) Vigiai, pois, visto que não sabeis quando o senhor da casa voltará, se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã,
(36) para que, vindo de repente, não vos encontre dormindo.
(37) O que vos digo, digo a todos: vigiai!
(97) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI

Vigiai!

Primeiro domingo do Advento

Com a metáfora da vigilância, Nosso Senhor nos ensina uma fé capaz de reconhecer sua vinda: 1) na humildade da manjedoura; 2) na glória do fim dos tempos; 3) e no mistério do nosso dia a dia. A fé é semelhante ao esforço de permanecer acordado, de permanecer no mundo real, enquanto o mundo, sem fé, dorme e vive no mundo dos sonhos. Que a penitência do advento nos tire de nosso sonambulismo de pecado e faça nascer em nós a verdadeira esperança.

Estamos no tempo marcado pela visitação de nosso Deus.
São Bernardo de Caraval nos recorda as três vindas de Nosso Senhor.
1- na carne, como servo pela Virgem maria;
2- como rei em forma gloriosa no final dos tempos para julgar os vivos e os mortos;
3- no nosso dia a dia na Igreja através dos sacramentos, presente na Eucaristia, em nossos irmãos necesitados que precisam de nós...

O advento é um tempo de esperança. Mas para que haja em nós a virtude de esperança é necessário:
1- não esperar nada dos homens, desesperar das realidades mundanas, tomar consciência da fragilidade deste mundo;
2- crer, crer no amor de Deus, confiar;

O edifício de nossa vida espiritual tem três andares:
1- fé
2- esperança
3- caridade
Note-se que não é possível haver o terceiro andar sem os dois primeiros.

Deus não será esperança se não crermos no seu amor que vem nos resgatar. Esta é a essência do evangelho e o grande mistério cristão.
Na tragédia da cruz de Cristo vemos os sinais apocalípticos deste mundo que passa. É como se na paixão de Cristo estivesse condensada toda a história do cosmos.
Mas é também no momento em que tudo parece perdido que se manifesta o maior amor, nossa esperança.

Precisamos crer nesse amor de Deus, crer que Ele pagou um altíssimo preço para nos abrir as portas do paraíso. Crer que Ele veio para nos salvar. É aqui que se abrem as portas para o dom da esperança. Só crê em Deus quem Nele tem total confiança. É importantíssimo ter a noção de que a esperança em Deus é algo a nós dado por Ele, uma virtude infusa, porque nossa razão humana quer sempre esperar em nós mesmos e nos decepcionamos diante da realidade de nossa impotência, vendo a transitoriedade deste mundo caduco e efêmero.

Como podemos viver essa esperança?
O evangelho de hoje nos aponta o caminho: vigiai, sede vigilantes.
Para abrir a porta para esperança o primeiro passo é a vigilância. Uma metáfora fantástica que nos ajuda muito a ver o que significa nossa vida neste mundo.
Precisamos constantemente exercitar a fé, orar, perseverar. A fé então é uma ilusão? Uma quimera?
Não, a metáfora da vigilância nos explica isso. É estar acordado enquanto todos dormem. Nossa passagem neste mundo é como estar acordado uma noite inteira enquanto a maioria dorme, vigiando, esperando.
Sim, é preciso fazer um esforço para ficar acordados... É mais fácil permanecer no mundo virtual, na ilusão criada pelo pecado e dormir! A humanidade que não tem fé está fora do mundo real, está seduzida pelo canto de sereia sendo levada ao mundo das ilusões.
Quem levanta o véu da miséria deste mundo ao mesmo tempo se encontra com a grandeza de Deus e confia na promessa já realizada de forma misteriosa e secreta em Cristo. Cristo já aqui esteve e a história agora seguirá o caminho de Cristo.

Nossa esperança é que neste mundo de tantas dores veremos triunfar a misericórdia de Deus. Ele virá para julgar e condenar e destruir o pecado em nós e resgatar tudo o que existe de bom, gracioso e divino. Ele virá e essa é a nossa esperança.
Esse estar vigilantes é o exercício diário da fé, pois com fé podemos e devemos servir a NSJC permanecendo firmes no mundo real, não sendo enganados pelas miragens do mundo do pecado.
Quando NSJC vier seremos surpreendidos porque o paraíso não é o que imaginamos, mas é MUITO mais que isso e terá valido a pena cada noite acordada, vigiando e esperando pelo Senhor!

Padre Paulo Ricardo

...