||  Início  ->  Santa Maria, mãe de Deus

Santa Maria, mãe de Deus (01/01/2012)

Primeira Leitura:
PENTATEUCO: Livro dos Números (Nm), capítulo 6
(22) O Senhor disse a Moisés: (23) “Dize a Aarão e seus filhos o seguinte: eis como abençoares os filhos de Israel: (24) O Senhor te abençoe e te guarde! (25) O Senhor te mostre a sua face e conceda-te sua graça! (26) O Senhor volva o seu rosto para ti e te dê a paz! (27) E assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel e eu os abençoarei”.
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola aos Gálatas (Gl), capítulo 4
(4) Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, (5) a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção. (6) A prova de que sois filhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! (7) Portanto já não és escravo, mas filho. E, se és filho, então também herdeiro por Deus.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Lucas (Lc), capítulo 2
(16) Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura.
(17) Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino.
(18) Todos os que os ouviam admiravam-se das coisas que lhes contavam os pastores.
(19) Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração.
(20) Voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, e que estava de acordo com o que lhes fora dito.
(21) Completados que foram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe posto o nome de Jesus, como lhe tinha chamado o anjo, antes de ser concebido no seio materno.
(192) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético

Catequese Bíblico-Missionária

Os Padres da Igreja, desde o século II, falam da vida cristã como "um nascimento íntimo e espiritual do Verbo no coração do homem", portanto nossa, maternidade espiritual encontra seu fundamento na maternidade física de Maria, e somos cristãos na medida em que participamos dessa mesma maternidade.

Pelo seu Sim, Maria faz com que o eclesial e o pessoal sejam uma só coisa, inseparável uma da outra. Maria é a primeira célula da Igreja e de toda a existência cristã pessoal. Ela nos revela e testemunha, pelo seu consentimento e adesão aos desígnios de Deus. que o cristão é, sobretudo, um ser que pronuncia um Sim e é a partir deste Sim que nos tornamos filhos e filhas de Deus.

A alegria e a esperança de sermos cristãos são, ao mesmo tempo, um dom e uma responsabilidade, que nos comprometem "em meio a uma geração perversa e depravada, diante da qual devemos brilhar como estrelas no mundo, ostentando a mensagem da vida" (Fl 2,15).

Maria foi declarada THEOTÒKOS - Mãe de I Deus - no Concílio de Éfeso, em 431, e celebrar a encarnação do Verbo significa glorificar inseparavelmente Maria. Maria, a Mãe de Deus, nos ensina quão maravilhoso é poder estruturar a nossa vida I na beleza; a nossa casa como sinal de um acolhi-[ mento amigo. E quão ainda é mais maravilhoso | fazer de toda a nossa vida a irradiação da Presença I Divina na banalidade das nossas ocupações cotidianas, abrindo em nossa presença um espaço de luz, de alegria e de ternura. Maria teceu em suas entranhas a bênção de Deus para que extirpasse o pecado do mundo feito ódio e divisão.

Nascemos, como Jesus, dos ventres de nossas mães para sermos, com todos os homens e mulheres do mundo, uma bênção e um abrigo: uma face resplandecente e compassiva, cujo rosto se volte para os mais necessitados e lhes entregue a paz.

Pe. Paulo Botas, mts