||  Início  ->  Solenidade da Epifania do Senhor

Solenidade da Epifania do Senhor (08/01/2012)

Primeira Leitura:
PROFETAS MAIORES: Livro de Isaías (Is), capítulo 60
(1) Levanta-te, sê radiosa, eis a tua luz! A glória do Senhor se levanta sobre ti. (2) Vê, a noite cobre a terra e a escuridão, os povos, mas sobre ti levanta-se o Senhor, e sua glória te ilumina. (3) As nações se encaminharão à tua luz, e os reis, ao brilho de tua aurora. (4) Levanta os olhos e olha à tua volta: todos se reúnem para vir a ti, teus filhos chegam de longe, e tuas filhas são transportadas à garupa. (5) Essa visão tornar-te-á radiante, teu coração palpitará e se dilatará, porque para ti afluirão as riquezas do mar, e a ti virão os tesouros das nações. (6) Serás invadida por uma multidão de camelos, pelos dromedários de Madiã e de Efá, virão todos de Sabá, trazendo ouro e incenso, e publicando os louvores do Senhor.
Segunda Leitura:
EPÍSTOLAS DE SÃO PAULO: Epístola aos Efésios (Ef), capítulo 3
(2) Vós deveis ter aprendido o modo como Deus me concedeu esta graça que me foi feita a vosso respeito. (3) Foi por revelação que me foi manifestado o mistério que acabo de esboçar. (4) Lendo-me, podereis entender a compreensão que me foi concedida do mistério cristão, (5) que em outras gerações não foi manifestado aos homens da maneira como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas. (6) A saber: que os gentios são co-herdeiros conosco (que somos judeus), são membros do mesmo corpo e participantes da promessa em Jesus Cristo pelo Evangelho.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Mateus (Mt), capítulo 2
(1) Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalém.
(2) Perguntaram eles: Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo.
(3) A esta notícia, o rei Herodes ficou perturbado e toda Jerusalém com ele.
(4) Convocou os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo e indagou deles onde havia de nascer o Cristo.
(5) Disseram-lhe: Em Belém, na Judéia, porque assim foi escrito pelo profeta:
(6) E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo(Miq 5,2).
(7) Herodes, então, chamou secretamente os magos e perguntou-lhes sobre a época exata em que o astro lhes tinha aparecido.
(8) E, enviando-os a Belém, disse: Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-lo.
(9) Tendo eles ouvido as palavras do rei, partiram. E eis que e estrela, que tinham visto no oriente, os foi precedendo até chegar sobre o lugar onde estava o menino e ali parou.
(10) A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria.
(11) Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra.
(12) Avisados em sonhos de não tornarem a Herodes, voltaram para sua terra por outro caminho.
(174) Homilia do Padre Paulo Ricardo:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético

Padre Paulo Ricardo

Solenidade da Epifania do Senhor

Respice stellam, voca Mariam!

Tu que compreendes o quanto, neste mundo passageiro, somos muito mais como náufragos lançados de um lado para outro por tempestades e ondas do que como alguém que anda terra firme, não olhes para longe desta estrela, se tu não queres ser oprimido pelas tempestades.

Se os ventos das tentações surgirem, se encontrares os rochedos das tribulações, olha para a estrela, invoca Maria.

Se fores abatido pelas ondas do orgulho, da ambição, da maledicência, da rivalidade, olha para a estrela, invoca Maria.

Se a ira ou avareza, ou desejos desordenados castigaram o navio de tua mente, olha para a estrela, invoca Maria.

Se preocupado com o tamanho de teus crimes, confuso com a consciência de teu grande erro, aterrorizado pelo medo da justiça divina, começas a ser engolido no abismo da tristeza, e na voragem do desespero, pensa em Maria.

Nos perigos, nas angústias, nas incertezas pensa em Maria, invoca Maria. Que ela nunca abandone os teus lábios, nem o teu coração; e para obteres a ajuda da sua oração, nunca esqueças o exemplo da sua vida. Se a segues, não te podes desviar; se lhe rezas, não te podes desesperar; se pensas nela não podes errar. Se ela te ampara, não cais; se ela te protege, nada temes; se ela te guia, não te cansas; se ela te é propícia, alcançarás a meta…” (Hom. II super “Missus est”, 17: PL 183, 70-71).

=-=-=

A origem da festa da epifania é mais antiga que o Natal. Era para festejar a manifestação de Deus para todos os povos.

Epifania = manifestação. E que manifestação celebramos?
Recordamos neste dia três mistérios, três manifestações:
- hoje, a estrela guia os magos ao presépio;
- hoje, Cristo no Jordão é batizado para salvar-nos;
- hoje, a água se faz vinho para as bodas.

Na visita dos reis magos, Jesus não estava mais numa gruta ou estábulo, mas numa casa.
A história diz que seriam 3 reis magos ou sábios, mas isso faz parte da tradição, pois os evangelhos nada dizem a respeito.

Os reis magos... quando Jesus se manifesta a todos que buscam a Verdade.
Quem eram esses reis magos? Homens superticiosos ou sábios que sabiam que Deus se manifesta em sua criação? Eles procuravam Deus, homens que buscam Deus na criação.
Não importa a religião, oremos para que todos sejam levados a buscar a Verdade com sinceridade e buscar a Deus, pois onde está a Verdade está o Espírito Santo de Deus.
Se quem busca a Verdade não se aproxima de Deus é porque o coração está contaminado por alguma ideologia humana.

Cristo batizado no Jordão... quando Jesus se manifesta para o povo de Israel.
A tradição vê uma manifestação de Jesus aos judeus, ao povo de Israel quando Jesus é apontado por João Batista, o último profeta do antigo testamento, como o Messias, a revelação de Deus, quando Jesus manifesta sua glória no Rio Jordão, lugar de ingresso para a terra prometida.

A manifestação de Jesus nas bodas de Caná... quando Jesus se manifesta para seus discípulos, à Igreja.
A presença aqui de Maria é importante e determinante.

Sendo Jesus o centro da história, o alfa e o ômega da existência, após a proclamação do evangelho a Igreja faz o anúncio das solenidades do ano de 2012, anúncio das datas que irão perpassar o ano litúrgico.
O ano litúrgico é cristocêntrico. É Jesus que dá sentido às nossas vidas e ao ano litúrgico.

Há duas atitudes possíveis diante dessas manifestações de Deus: a de Herodes e a dos reis magos.
Os magos querem adorar Jesus. Herodes fica perturbado por receio de perder poder para uma criança... mandando matar inocentes.
Uma analogia interessante: ainda hoje poderosos com corações de pedra mandam matar crianças por meio do aborto... porque toda a criança ao nascer destrona alguém, somos chamados a deixar de lado o nosso egoísmo, deixamos de ser donos de nós mesmos.

A atitude dos magos de buscar a Verdade deve nos fazer meditar. Quando os magos entraram na casa encontram Jesus com sua mãe Maria e se ajoelharam diante do menino...
Existe uma tradição antiga que interpreta o nome de Maria como sendo 'a estrela do mar'. Assim fazem S. Jerônimo, S. Isidoro de Sevilha, São Bernardo... a estrela polar (vista somente no hemisfério norte) usada na navegação que nos guia em nossas viagens.

Os magos seguem a estrela e ao entrar na casa encontram Maria que lhes mostra Jesus!

Catequese Bíblico-Missionária

A Realidade

Ghandi morou na África do Sul, onde a discriminação era oficiai. Quem não tinha a pele clara de um europeu não podia andar na calçada, não podia viajar de primeira classe e ainda tinha documento de identidade diferente do dos brancos.

Ghandi preparou um grupo de negros e indianos como ele para fazer uma fogueira pública desses documentos, prontos para não reagir, caso chegasse a polícia. A polícia veio, eles foram agredidos e não agrediram, mas continuaram colocando no fogo seus documentos.

Na índia, conseguiu mobilizar todo o povó contra o domínio da Inglaterra. Conquistaram a liberdade, vítimas que assimilavam as agressões. Ele dizia: "Vocês, cristãos, que têm o Evangelho não o põem em prática. Se o fizessem, o mundo seria outro!".

A Palavra

O episódio dos Magos é o motivo da festa de hoje. Seu pano de fundo é a Primeira Leitura. ' Pensar no seu significado: Os de casa, Escribas, Sacerdotes e Herodes, têm a Bíblia para entender quem era Jesus, mas ficam apavorados com a notícia do seu nascimento. Os de longe, os Magos, vêm prestar-lhe homenagem, vêm adorá-lo.

A comunidade que nos deu este Evangelho certamente viveu essa experiência. Eram cristãos judeus, mas devem ter visto muitos não judeus procurando a fé cristã com maior entusiasmo do que muitos judeus. Hoje, os Magos são os não cristãos como Ghandi, que vivem o Evangelho melhor do que nós.

A Segunda Leitura nos dá o principal significado desta festa: Deus chama todas as nações do mundo à salvação que vem por meio de Jesus Cristo. Não somos senhores da Palavra de Deus nem da salvação.

Todos são chamados e são capazes de desco-. brir os sinais de Deus em qualquer acontecimento ou fenômeno da natureza. Os Magos viram, numa estrela diferente que encontraram no céu, um aviso do nascimento de Jesus. E responderam ao chamado.

O Mistério

Epifania é Jesus que se manifesta como Salvador de todas as nações. O pecado, a cobiça, é um mal universal. É o que destrói o nosso mundo. Na Eucaristia celebramos Jesus que dá o sangue pqr todos, para livrar a humanidade do mal que se chama pecado ou cobiça'. Ele é o cordeiro que tira o pecado do mundo, da humanidade toda.

Pe. José Luiz Gonzaga do Prado, Diocese de Guaxupé - MG