||  Início  ->  Queremos ver Jesus!

Não há ressurreição sem cruz (25/03/2012)

Primeira Leitura:
PROFETAS MAIORES: Livro de Jeremias (Jr), capítulo 31
(31) Dias hão de vir - oráculo do Senhor - em que firmarei nova aliança com as casas de Israel e de Judá. (32) Será diferente da que concluí com seus pais no dia em que pela mão os tomei para tirá-los do Egito, aliança que violaram embora eu fosse o esposo deles. (33) Eis a aliança que, então, farei com a casa de Israel - oráculo do Senhor: Incutir-lhe-ei a minha lei, gravá-la-ei em seu coração. Serei o seu Deus e Israel será o meu povo. (34) Então, ninguém terá encargo de instruir seu próximo ou irmão, dizendo: Aprende a conhecer o Senhor, porque todos me conhecerão, grandes e pequenos - oráculo do Senhor -, pois a todos perdoarei as faltas, sem guardar nenhuma lembrança de seus pecados.
Segunda Leitura:
HEBREUS: Epístola aos Hebreus (Hb), capítulo 5
(7) Nos dias de sua vida mortal, dirigiu preces e súplicas, entre clamores e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, e foi atendido pela sua piedade. (8) Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve. (9) E uma vez chegado ao seu termo, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem,
EVANGELHOS: Evangelho segundo São João (Jo), capítulo 12
(20) Havia alguns gregos entre os que subiram para adorar durante a festa.
(21) Estes se aproximaram de Filipe (aquele de Betsaida da Galiléia) e rogaram-lhe: Senhor, quiséramos ver Jesus.
(22) Filipe foi e falou com André. Então André e Filipe o disseram ao Senhor.
(23) Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora para o Filho do Homem ser glorificado.
(24) Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só, se morrer, produz muito fruto.
(25) Quem ama a sua vida, perdê-la-á, mas quem odeia a sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna.
(26) Se alguém me quer servir, siga-me, e, onde eu estiver, estará ali também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará.
(27) Presentemente, a minha alma está perturbada. Mas que direi?... Pai, salva-me desta hora... Mas é exatamente para isso que vim a esta hora.
(28) Pai, glorifica o teu nome! Nisto veio do céu uma voz: Já o glorifiquei e tornarei a glorificá-lo.
(29) Ora, a multidão que ali estava, ao ouvir isso, dizia ter havido um trovão. Outros replicavam: Um anjo falou-lhe.
(30) Jesus disse: Essa voz não veio por mim, mas sim por vossa causa.
(31) Agora é o juízo deste mundo, agora será lançado fora o príncipe deste mundo.
(32) E quando eu for levantado da terra, atrairei todos os homens a mim.
(33) Dizia, porém, isto, significando de que morte havia de morrer.
(337) Homilia do Padre Paulo Ricardo :PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares

Queremos ver Jesus!

Quinto domingo da Quaresma.
Aos gregos que pedem para vê-lo, Jesus responde com o mistério da cruz. Não é possível entrar em comunhão com Jesus e rejeitar a “Páscoa” do grão de trigo. Somente a fé verdadeira nos torna capazes de ser atraídos pela cruz.

João, 12,20-33
Qual é a hora de Jesus que deve chegar?
"Senhor, gostaríamos de ver Jesus"... (um grupo de gregos, estrangeiros, procuram dois discípulos pois queriam ver Jesus).
Como Jesus se torna presença real na nossa vida e podemos ver sua verdadeira identidade?
"Chegou a hora em que o filho do homem será glorificado... o grão de trigo que cai na terra e morre então produz abundantes frutos.".
Jesus explica a fecundidade da cruz, fonte de vida.
"Quem se apega à sua vida neste mundo, perde-a".
Este é o princípio da cruz e do evangelho. Querem ver Jesus? Então Ele deve ser procurado na cruz.
A cruz é o momento da máximo revelação de Jesus, quando Deus invisível se apresenta aos nossos olhos.

Isso é típico do evangelho de S. João. Enxergar em Jesus crucificado algo que parece ignomioso, mas é motivo de glória.
S. João não narra a agonia de Jesus no Horto das Oliveiras, mas salienta a oração de Jesus ("Pai, glorifica o teu nome"). E então veio uma voz do céu: "Eu o glorifiquei e glorificarei de novo".
S. João coloca lado a lado o Jesus transfigurado na glória do monte Tabor e o Jesus desfigurado do Horto das Oliveiras.

É importante não ter medo de morrer como o grão de trigo precisa morrer. O medo da morte é curado pela fé na ressurreição. Ao ressuscitar seu filho dos mortos Deus nos deu uma esperança viva", disse S. Pedro.
Cruz e ressurreição andam juntas.
Nesta vida, neste mundo, não é possível amar sem haver mortificação. Quem fugir da cruz estará fugindo do amor e do desígnio de Deus para nós.
A ressurreição de Cristo foi a resposta de Deus às orações de Jesus no Horto das Oliveiras, por si e por todos nós.
Na ressurreição dos mortos, tudo terá valido a pena.

Padre Paulo Ricardo