||  Início  ->  Ressuscitou, conforme as escrituras!

Ressuscitou, conforme as escrituras! (22-04-2012)

Primeira Leitura:
ATOS: Atos dos Apóstolos (At), capítulo 3
(13) O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos pais glorificou seu servo Jesus, que vós entregastes e negastes perante Pilatos, quando este resolvera soltá-lo. (14) Mas vós renegastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homicida. (15) Matastes o Príncipe da vida, mas Deus o ressuscitou dentre os mortos: disso nós somos testemunhas. (16) Em virtude da fé em seu nome foi que esse mesmo nome consolidou este homem, que vedes e conheceis. Foi a fé em Jesus que lhe deu essa cura perfeita, à vista de todos vós. (17) Agora, irmãos, sei que o fizestes por ignorância, como também os vossos chefes. (18) Deus, porém, assim cumpriu o que já antes anunciara pela boca de todos os profetas: que o seu Cristo devia padecer. (19) Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos para serem apagados os vossos pecados.
Segunda Leitura:
EPISTOLAS CATÓLICAS: Primeira Epístola de São João (1Jo), capítulo 2
(1) Filhinhos meus, isto vos escrevo para que não pequeis. Mas, se alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. (2) Ele é a expiação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo. (3) Eis como sabemos que o conhecemos: se guardamos os seus mandamentos. (4) Aquele que diz conhecê-lo e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e a verdade não está nele. (5) Aquele, porém, que guarda a sua palavra, nele o amor de Deus é verdadeiramente perfeito. É assim que conhecemos se estamos nele:
EVANGELHOS: Evangelho segundo São Lucas (Lc), capítulo 24
(35) Eles, por sua parte, contaram o que lhes havia acontecido no caminho e como o tinham reconhecido ao partir o pão.
(36) Enquanto ainda falavam dessas coisas, Jesus apresentou-se no meio deles e disse-lhes: A paz esteja convosco!
(37) Perturbados e espantados, pensaram estar vendo um espírito.
(38) Mas ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que essas dúvidas nos vossos corações?
(39) Vede minhas mãos e meus pés, sou eu mesmo, apalpai e vede: um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que tenho.
(40) E, dizendo isso, mostrou-lhes as mãos e os pés.
(41) Mas, vacilando eles ainda e estando transportados de alegria, perguntou: Tendes aqui alguma coisa para comer?
(42) Então ofereceram-lhe um pedaço de peixe assado.
(43) Ele tomou e comeu à vista deles.
(44) Depois lhes disse: Isto é o que vos dizia quando ainda estava convosco: era necessário que se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos profetas e nos Salmos.
(45) Abriu-lhes então o espírito, para que compreendessem as Escrituras, dizendo:
(46) Assim é que está escrito, e assim era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia.
(47) E que em seu nome se pregasse a penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém.
(48) Vós sois as testemunhas de tudo isso.
Homilia do Padre Paulo Ricardo :PLAYER AQUI
Homilia do Padre José Ruy:PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares
Canção Nova: Homilia

Ressuscitou, conforme as escrituras!

Desde o documento mais antigo a respeito da Ressurreição de Jesus (1Cor 15,4) a Igreja faz questão de testemunhar que este acontecimento surpreendente havia sido anunciado pelas Escrituras do Antigo Testamento. No entanto, se examinarmos aqueles escritos, dificilmente acharemos um versículo que realmente “profetize” a Ressurreição de Jesus. Os acontecimentos Pascais cabem mais na categoria da surpresa inesperada do que na de previsão realizada. Mesmo assim, a Igreja insiste: “ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (Credo Niceno-Constantinopolitano). É a partir da pessoa do Ressuscitado que o Antigo Testamento adquire seu significado e sua luminosidade. Sendo assim, ao vermos o duelo entre a Vida e a morte na História da Salvação, encontramos também a chave interpretativa de nossa própria vida. O Ressuscitado enche de luz não somente as Escrituras, mas nosso próprio drama pessoal na certeza de que “se com Ele morremos, com Ele viveremos” (2Tm 2,11).

=-=-=

Nosso Senhor entra em nossas vidas desejando-nos a paz, a paz que vem da Páscoa, pois Nosso Senhor venceu a morte, está vivo com V maiúsculo, uma vida superior, melhor que esta vida que conhecemos.
Se esta morte ainda tem algum poder sobre nós, sabemos que com e como Ele ressuscitaremos.

Jesus em suas aparições quer dar a fé aos seus discípulos.
Primeiro, os discípulos de Emaús. Supomos que os apóstolos ouviram dos discípulos perplexos a narrativa de que haviam visto Jesus.
Depois, Jesus aparece aos apóstolos reunidos e suas primeiras palavras são: "a paz esteja convosco". Mas, o resultado é oposto... "eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que viam um fantasma". Ou seja, não basta ver Jesus ressucitado, mas é preciso saber o que se está vendo!
Cheios de medo, pensam ser um fantasma! Não de alguém que venceu a morte, mas ao contrário, de alguém que ainda pertence ao mundo dos mortos!
Eles estavam "terrificados", conforme a palavra em grego.
"Por que estais preocupados e por que tendes dúvida no coração?"
Havia dúvida no coração dos apóstolos, um diálogo com a falta de fé, com o tentador... pois ao dar espaço para a dúvida, esta gera o terror, o medo, assim como a fé é capaz de nos dar a paz, a confiança.

O que está em jogo aqui é a dúvida e a fé. É necessário que a fé vença a dúvida. E para tirar-lhes a dúvida, Jesus lhes dá sinais empíricos e palpáveis... "aquele que nós tocamos com nossas mãos".
Jesus diz: "vede e tocai minhas mãos e meus pés... sou eu mesmo!". Ele enfatiza sua presença física, real.
São Lucas é claro: Jesus é uma experiência concreta e não simbólica. "Um fantasma não tem carne nem ossos como estais vendo que eu tenho".

Eis mais uma vez nossa fé no Deus que se fez carne. Jesus ressuscita e continua sendo carne. É um corpo diferente, não como a revificação de Lázaro que morreu de novo, mas um corpo glorificado e imortal de quem venceu a morte.

Os apóstolos em suas pregações insistem na presença física concreta de Jesus, ressuscitado em corpo e alma.
Nas culturas grega e judaica não havia dificuldades em aceitar a aparição de um fantasma. Se os apóstolos tivessem dito que foi um fantasma, nenhum grego ou judeu teria dificuldades em aceitar isso. Mas o que pregavam era inaceitável e escandaloso, que Jesus ressucitou na carne. Para os gregos era um escândalo, pois acreditavam que tínhamos uma alma imortal e acabou, o corpo era uma prisão dessa alma e não poderia ressuscitar. Já os judeus acreditavam que essa ressurreição só poderia ocorrer no fim dos tempos.
Mas, os apóstolos pregavam que Jesus ressuscitou e o mundo continuava o mesmo... como entrar na vida eterna e continuar existindo a carne passageira e mortal?
Mesmo assim os apóstolos não tentam acomodar sua pregação às culturas da época, por mais escandalosas que fossem e difíceis de aceitar, o contrário do que muitos tentam fazer hoje em dia, tentando "adaptar" os evangelhos ao mundo moderno.
Esse escândalo e essa loucura que temos que aceitar com a fé é o único caminho para nos dar a verdadeira paz e a salvação.

Jesus nos dá a chave para interpretarmos as escrituras do Antigo Testamento: "era preciso que se cumprisse tudo o que estava escrito sobre mim na lei de Moiséis, pelos profetas e nos salmos".
É insistente a expressão "conforme as escrituras", a indicar que a crucifixão, morte e ressurreição do Senhor é a chave para entender o antigo testamento.
Nós cristãos lemos o AT de forma totalmente diferente dos hebreus. Nós o lemos a partir de Jesus que explica as escrituras.
S. Paulo quando fala da ressurreição de Jesus usa sempre a expressão: "conforme as escrituras".

Para saber ler a Bíblia e aplicá-la na vida, é preciso saber que Jesus Cristo está no centro da Bíblia. As escrituras giram em torno de Nosso Senhor Jesus Cristo e só assim adquirem sentido. Ao ler as escrituras do antigo testamento tendo Jesus como chave de leitura, tudo se ilumina e a palavra-viva brota daquelas páginas. "Não ardia o nosso coração enquanto Ele nos explicava as escrituras?"
Se lermos a bíblia ao pé da letra, vamos acabar como os adventistas, os testemunhas de Jeová e outras seitas semelhantes que ainda hoje guardam o sábado, não comem carne de porco e coisas assim.

Em cada página da Bíblia há um sentido: a páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Abracemos a fé dos apóstolos que ilumina e dá sentido às nossas vidas, dores e sofrimentos. Se com Ele morremos, como Ele viveremos.

Padre Paulo Ricardo