||  Início  ->  Deus é Amor

Deus é Amor (13-05-2012)

Primeira Leitura:
ATOS: Atos dos Apóstolos (At), capítulo 10
(25) Quando Pedro estava para entrar, Cornélio saiu a recebê-lo e prostrou-se aos seus pés para adorá-lo. (26) Pedro, porém, o ergueu, dizendo: Levanta-te! Também eu sou um homem! (27) E, falando com ele, entrou e achou ali muitas pessoas que se tinham reunido e disse: (28) Vós sabeis que é proibido a um judeu aproximar-se dum estrangeiro ou ir à sua casa. Todavia, Deus me mostrou que nenhum homem deve ser considerado profano ou impuro. (29) Por isso vim sem hesitar, logo que fui chamado. Pergunto, pois, por que motivo me chamastes. (30) Disse Cornélio: Faz hoje quatro dias que estava eu a orar em minha casa, à hora nona, quando se pôs diante de mim um homem com vestes resplandecentes, que disse: (31) Cornélio, a tua oração foi atendida e Deus se lembrou de tuas esmolas. (32) Envia alguém a Jope e manda vir Simão, que tem por sobrenome Pedro. Está hospedado perto do mar em casa do curtidor Simão. (33) Por isso mandei chamar-te logo e felicito-te por teres vindo. Agora, pois, eis-nos todos reunidos na presença de Deus para ouvir tudo o que Deus te ordenou de nos dizer. (34) Então Pedro tomou a palavra e disse: Em verdade, reconheço que Deus não faz distinção de pessoas, (35) mas em toda nação lhe é agradável aquele que o temer e fizer o que é justo. (36) Deus enviou a sua palavra aos filhos de Israel, anunciando-lhes a boa nova da paz, por meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos. (37) Vós sabeis como tudo isso aconteceu na Judéia, depois de ter começado na Galiléia, após o batismo que João pregou. (38) Vós sabeis como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com o poder, como ele andou fazendo o bem e curando todos os oprimidos do demônio, porque Deus estava com ele. (39) E nós somos testemunhas de tudo o que fez na terra dos judeus e em Jerusalém. Eles o mataram, suspendendo-o num madeiro. (40) Mas Deus o ressuscitou ao terceiro dia e permitiu que aparecesse, (41) não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus havia predestinado, a nós que comemos e bebemos com ele, depois que ressuscitou. (42) Ele nos mandou pregar ao povo e testemunhar que é ele quem foi constituído por Deus juiz dos vivos e dos mortos. (43) Dele todos os profetas dão testemunho, anunciando que todos os que nele crêem recebem o perdão dos pecados por meio de seu nome. (44) Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a (santa) palavra. (45) Os fiéis da circuncisão, que tinham vindo com Pedro, profundamente se admiraram, vendo que o dom do Espírito Santo era derramado também sobre os pagãos, (46) pois eles os ouviam falar em outras línguas e glorificar a Deus. (47) Então Pedro tomou a palavra: Porventura pode-se negar a água do batismo a estes que receberam o Espírito Santo como nós? (48) E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Rogaram-lhe então que ficasse com eles por alguns dias.
Segunda Leitura:
EPISTOLAS CATÓLICAS: Primeira Epístola de São João (1Jo), capítulo 4
(7) Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. (8) Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. (9) Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em nos ter enviado ao mundo o seu Filho único, para que vivamos por ele. (10) Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos ele amado, e enviado o seu Filho para expiar os nossos pecados.
EVANGELHOS: Evangelho segundo São João (Jo), capítulo 15
(9) Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor.
(10) Se guardardes os meus mandamentos, sereis constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor.
(11) Disse-vos essas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa.
(12) Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.
(13) Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos.
(14) Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando.
(15) Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai.
(16) Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda.
(17) O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.
Chamo-vos Amigos!
Homilia do Padre Paulo Ricardo :
PLAYER AQUI
Deus é Amor
Homilia do Padre José Ruy:
PLAYER AQUI
Presbíteros: Ver Roteiro Homilético
Ver Comentário Exegético
Ver Homilia de Dom Henrique Soares
Canção Nova: Homilia

Chamo-vos Amigos!

Costuma-se classificar o amor-amizade como sendo uma forma inferior de amor que precisaria ser aperfeiçoada até chegarmos ao amor-caridade, o amor verdadeiramente divino. Seguindo este evangelho de São João, Santo Tomás de Aquino nos ensina que, depois que o Verbo se fez carne, a amizade entre Deus e o homem não somente tornou-se possível (fato inimaginável para os filósofos como Aristóteles, por exemplo), mas pode ser apresentado como a forma mais perfeita de amor.

Corresponder ao amor primeiro de Deus é o que nos introduz na vida de amizade com Deus. Esta certeza do amor, recebido e difundido no amor do próximo, é que nos introduz na alegria plena.

Livro recomendado:
CUNHA, Duarte da, A Amizade Segundo S. Tomás de Aquino. Lisboa, Principia, 2010, 400p. (ISBN: 9789898131768).

Padre Paulo Ricardo