||  Início  ->  Listagem resumida

RSS Católicos Online

↑ Grab this Headline Animator

Sucessão Apostólica
 Sucessão Apostólica

Eis o significativo texto de Santo Ireneu, que percorre a história desde Pedro até Eleutério (75-189):


"É com esta igreja (de Roma), em razão de sua mais poderosa autoridade de fundação, que deve necessariamente concordar toda igreja, isto é, que devem concordar os fiéis procedentes de qualquer parte, ela, na qual, sempre, por meio daqueles que procedem de toda parte, conservou a Tradição que vem dos Apóstolos.

Depois de ter assim fundado e edificado a Igreja, os bem-aventurados Apóstolos transmitiram a Lino o cargo do episcopado; deste Lino faz menção Paulo nas suas cartas a Timóteo. Anacleto lhe sucede. Depois, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos, é a Clemente que cabe o episcopado. Ele tinha visto os próprios Apóstolos, estivera em relação com eles; sua pregação ressoava-lhe aos ouvidos; sua Tradição estava presente ainda aos seus olhos. Aliás, ele não estava só; havia em sua época muitos homens instruídos pelos Apóstolos. Ao tempo desse Clemente, pois, uma dissensão grave ocorreu entre os irmãos de Corinto; a Igreja de Roma dirigiu então aos coríntios um escrito muito importante para reconciliá-los na paz, reanimar sua fé e anunciar-lhes a Tradição que tinha recebido recentemente dos Apóstolos: um só Deus Onipotente, Criador do céu e da terra, que modelou o homem, produziu o dilúvio, chamou a Abraão, fez sair seu povo do Egito, falou a Moisés, estabeleceu o regime da Lei, enviou os Profetas, preparou o fogo para o diabo e seus anjos.

Que esse Deus seja anunciado pelas Igrejas como sendo também o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, todos os que quiserem podem verificar segundo o mesmo documento. Podem assim conhecer a Tradição apostólica da Igreja, pois tal carta é mais antiga que os fautores dos erros atuais, os quais inventam mentirosamente outro Deus superior ao Demiurgo, ao Criador de nosso universo.

A Clemente sucede Evaristo; a Evaristo, Alexandre; em seguida, em sexto lugar a partir dos Apóstolos, é instituído Sixto; depois Telésforo, também glorioso por seu martírio; depois Higino, Pio, Aniceto; Sotero, sucessor de Aniceto e agora Eleutério detém o episcopado, em 12o lugar a partir dos Apóstolos.

É nesta ordem e sucessão que a Tradição dada à Igreja desde os Apóstolos, e a pregação da verdade, chegaram até nós. E está aí uma prova muito completa de que é única e sempre a mesma, a fé vivificadora que, na Igreja desde os Apóstolos, se conservou até o dia de hoje e foi transmitida na verdade".


Pode-se dizer que este texto versa sobre os critérios da ortodoxia; quer expor aos gnósticos a condição indispensável para que determinada doutrina seja tida como autêntica: requer-se que esteja em consonância com a fé professada pela comunidade de Roma. Esta é padrão e primacial, pois é duplamente apostólica, já que nela pregaram e morreram os Apóstolos Pedro e Paulo. É deles, instruídos por Cristo, que provém a reta fé através dos seus sucessores claramente reconhecidos.

Ver artigo #1087