SANTOS E MíSTICOS (2998)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Cursos: Ao Vivo - Aula 3: São Pio de Pietrelcina - por Padre Paulo Ricardo

São Pio de Pietrelcina

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Inspirai Senhor as nossas orações e ajudai-nos a realizá-las, para que em Vós comece e para Vós termine tudo aquilo que fizermos por Cristo Senhor nosso, Amém. Santa Maria mãe de Deus, rogai por nós, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.
Tema da aula de hoje: santo Pio de Pietrelcina, por estarmos às portas da celebração do dia de São Pio.

Por que entre tantos santos, o padre Pio?
Por ser um santo extraordinário e ser um homem da providência divina para a Igreja nos séculos 20 e 21. A Igreja tem 2000 anos de história e a gente lê a história de santos ao longo dos séculos que são taumatúrgicas, cheias de milagres e coisas fantásticas. Mas, nos tempos modernos, época das 'luzes e da razão', esse tipo de leitura nos faz pensar se tais relatos não seriam imaginação do homem medieval... e na pessoa do padre Pio temos um santo que viveu uma vida onde os milagres documentados e testemunhados aconteceram diariamente nos seus 81 anos de vida!
Ele nasceu no sul da Itália numa cidade chamada Pietrelcina. Seu nome de batismo é Francesco Forjone, de uma família muito devota de S. Francisco de Assis. Desde a infância pensou em se dedicar ao sacerdócio tendo entrado ainda rapaz na ordem dos Capuchinhos, que na época era uma ordem das mais penitentes da Igreja. O Franciscanismo em sua origem é um movimento espiritual muito ligado à penitência. Por isso S. Francisco também recebeu os estigmas que ocorreu com alguns poucos santos da Igreja.
Interessante notar que na história da Igreja todas as pessoas que receberam os estigmas foram leigos. Padre Pio foi o único sacerdote que recebeu os estigmas.
A ordem dos Capuchinhos era muito exigente com relação à penitência, vivendo intensa penitência com relação ao frio, ao calor, aos hábitos, à aplicação de pequenos açoites e coisas do gênero. Foi para essa ordem que entrou o Padre Pio, com essa idéia de penitência. Desde a infância ele já vivia isso e era visitado por Jesus, por Maria, pelos anjos, por demônios... sua vida espiritual não era invisível. Sabemos muita coisa secreta de sua vida espiritual porque este, por muito tempo, foi contando sua vida em carta para seu diretor espiritual ou deste próprio que anotava em seu diário suas impressões a respeito do padre Pio.
E será que era verdade isso tudo?
Tudo o que o padre Pio afirmava era corroborado pela quantidade enorme de milagres que aconteciam em sua vida, diariamente. Curas de câncer, paralíticos que se curavam, cegos, surdos e até a ressurreição de uma criança... documentados e atestados por médicos. Ele também tinha o dom da bilocação, pois aparecia em vários lugares ao mesmo tempo.
A vida desse santo não tinha explicações humanas. Era algo totalmente fora dos padrões. E por que um santo tão portentoso? Para exatamente numa época tão cética, haver um santo sacerdote a fazer-nos pensar que isso podia acontecer sim, também no passado, com outros santos como a história narra.
Há parapsicólogos que dizem ser os fenômenos explicáveis pela parapsicologia... mas são obrigados a admitir que a explicação parapsicológica é insuficiente pois mesmo eles reconhecem não ser possível explicar tudo.

E como ele vivia o sofrimento? Para dar um significado à sua vida.
Ele foi perseguido pela Igreja, por gente da alta hierarquia da Igreja. Seu próprio bispo o perseguiu. Padres de sua diocese o perseguiram com diversas calúnias. Havia por parte do Santo Ofício sempre condenações ao padre Pio, com trapaças feitas para que o Santo Ofício não recebesse relatórios completos, mas apenas o que pudesse ser usado contra ele.
Entretanto, o padre Pio aceitou essas perseguições com profundo amor à Igreja e amando a Igreja ele oferecia os seus sofrimentos. Parece que havia uma ligação entre seu sofrimento e a sua eficácia ministerial.... mais sofria, mais conseguia a conversão de grandes pecadores.
No início, quando tinha os estigmas invisíveis (8 a 9 anos), ele chegou a ter febres de 48 graus... o que não existe registrado na história da medicina. O termômetro explodia.... tinham que usar termômetros de banheira, atestado por médicos. Ele não tinha condições de ir para o convento. No convento adoecia, ia pra casa e ficava curado. Em casa celebrava a Missa e Deus o preparava para o sofrimento. Todos os dias após a Missa ele tinha êxtases.
Ele gostava de uma frase da carta aos Hebreus que sempre repetia: 'Não há redenção sem derramamento de sangue'. Ele dizia aos seus dirigidos espirituais: 'As almas custam sangue'. Como NSJC falou através de São Paulo: 'completo na minha carne o que falta aos sofrimentos de Cristo'. Ou seja, o sacrifício de Cristo não terminou, não foi completo. Há a realidade de nós unirmos a Cristo no sofrimento.
Padre Pio também unia seu sofrimento de padre ao sacrifício de Cristo.
Por isso quando nós sofremos, temos que dar um significado redentor a esse sofrimento, seja sofrimento físico, calúnias ou perseguições.

Por isso é importante crer na multidão de santos que já viveram pois Padre Pio morreu no século 20 e morreu em 1968, podendo ser provado, ser estudado e há testemunhas, tudo documentado, com radiografias, cirurgias, atestados médicos... por isso ele é importante, pois mostra Deus agindo por meio dele!
Quando um santo se configura a Cristo dessa maneira, ele pode dizer como S. Paulo: 'vivo, mas não eu, Cristo vive em mim'. Isto numa época em que vivemos uma crise de modelo sacerdotal, modelo que é como vivia o padre Pio: no altar e no confessionário, um homem dinâmico também socialmente falando, que fez da casa um hospital que hoje é um dos maiores hospitais da Europa... um verdadeiro sacerdote.
Sua fé como filho fiel da Igreja, apesar de ser perseguido pela própria, é fundamental. Outra coisa importante foi o amor à Igreja que ele mostrou, sabendo como lidar como a Igreja e permanecendo fiel a ela; um exemplo, um modelo brilhante e extraordinário para todos nós.

Perguntas:

1) A formação dos católicos, não deveria salientar a vida dos santos para sermos mais fiéis à Igreja?
Sim, pois Jesus está vivo na sua Igreja, nos santos. Ele não é uma historinha do passado, mas está VIVO em seus santos.
Existe um santo escritor russo, santo da Igreja ortodoxa, Teófilo o recluso, em que ele resume a prática catequética da igreja do ocidente e do oriente em três níveis:
1 (iniciante) - conhecer vida dos santos
2- conhecer os padres da Igreja
3- ler a sagrada escritura
A bíblia nunca foi na história da Igreja o primeiro passo.

2) Como se explica a perseguição que o Padre Pio sofria pelo demônio?
Ele realmente apanhava fisicamente do demônio, amanhecia com o olho roxo, o quarto revirado... como explicar isso?
Essas ações extraordinárias do demônio acontecem quando Deus dá a permissão de acontecerem. Deus deu essa permissão porque padre Pio tinha uma missão especial. Ele já recebia em si mesmo os sofrimentos necessários para ele. Ele dizia: 'queres ser santo? Saiba que é uma vida de cachorro'.

3) Por que a perseguição na própria Igreja?
Quando se opta por Jesus, ele quer dar a ressurreição, mas para isso é preciso unir-se à Sua cruz. Ele não foi traído por um apóstolo, um dos doze?
A história da Igreja é a de Jesus: paixão, morte e ressurreição. Assim também todos os santos.

4) Como aplicar a espiritualidade do padre Pio na vida dos leigos?
Configurar-se à Cristo e carregar sua cruz.
Estamos num mundo que esqueceu que ser Cristão é carregar sua cruz.
Padre Pio era muito devoto de Ns. Sra de Fátima. Aliás, ele foi curado através dela ...:
Nove anos antes de morrer padre Pio estava com câncer em estado terminal e uma imagem de N.Sa de Fátima acabou passando mesmo sem estar previsto por Rotondo de helicóptero, cidade onde estava padre Pio. O helicóptero pairou em frente à janela ele onde estava e este disse: ‘Desde que a Sra chegou na Itália me derrubou aqui na cama com esta doença, e agora vai embora e me deixa assim?’. Teve um espasmo, ficou curado e levantou-se da cama.
Não é à toa que N. Sra em Fátima insistia: ‘façam penitência para ajudar a salvar as almas dos pecadores!’ As almas custam sangue, como dizia o padre Pio. Sem penitência e sem oferecer algum sacrifício, sem cruz, ninguém chega lá.
Os cristãos modernos se tornaram inimigos da cruz de Cristo!
Qual é o santo que não viveu uma vida de penitência, aplicou a disciplina, dormiu no chão, fez jejum, vigília etc.? Contam-se nos dedos de uma mão aleijada os santos que não foram penitentes. Nós cristãos precisamos nos configurar à cruz de Cristo, pois quem foge da cruz é o diabo. E quanto maior for o sofrimento na sua vida, deve-se fazer penitência para parar de espernear, de reclamar e aceitar, abraçar a cruz.

Em todas as aparições de N. Sra, ela adverte para os perigos no final dos tempos ...
Ora, SE houver um 'castigo' no final dos tempos, qual o objetivo? Para salvar mais almas! Porque o sofrimento, quando abraçado, abre as portas do paraíso para nós e muitos outros.

5) E o encontro de São Pio com João Paulo II?
O papa teve alguns momentos com o padre Pio, mas estes momentos não foram documentados, pois foi quando o papa ainda era estudante em Roma, sacerdote.
Durante o Concílio Vaticano 2 quando o futuro papa era bispo auxiliar, este escreveu uma carta ao padre Pio pedindo intercessão para cura de uma amiga da parte de uma família que havia sido muito importante em sua vida pessoal. Foi enviada uma carta pessoalmente por uma pessoa do Vaticano até o padre Pio, escrita em latim. Após o milagre, ele mandou outra carta agradecendo do mesmo modo. Isto foi documentado.
Foi o papa João Paulo II quem quis, pessoalmente, beatificar e canonizar o padre Pio em tempo recorde, passando por todas as 'barreiras', inclusive o santo Ofício que tanto havia perseguido o padre Pio.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere


Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
9 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)