TEOLOGIA (2928)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Pregações: Teologia - Por que sofro tanto? - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

Por que sofro tanto?

No episódio de hoje Padre Paulo Ricardo responde à seguinte pergunta: “Por que sofro tanto? Do que valeu ter sido fiel a Deus na pureza, na castidade, aos valores da família e assídua na participação da Santa Missa?”

Hoje, uma moça amargurada questiona a prosperidade de tantos que não seguem a moral católica... enquanto os que são fiéis, por que sofrem tanto? O que fiz de errado ela pergunta?

Primeiros vejamos o problema pelo aspecto teológico.
A situação de Jó do AT. O livro de Jó termina sem resposta, por que o justo padece enquanto os ímpios prosperam?
A resposta a essa questão vem com a vida eterna, com Jesus Cristo crucificado, morrendo na cruz a morte mais miserável que possa existir para nos abrir a porta e a felicidade dos céus. Ele proclama as bem-aventuranças.
A educação "seja boazinha que você vai prosperar" não é completa, pois a verdadeira felicidade não se busca na terra, mas nos céus, em Deus.
NSJC não disse 'bem-aventurados os espertos porque deles é o reino da terra', mas disse 'bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o reino dos céus'.
O cristianismo não se realiza na terra, mas no céu.
Há algo errado num cristianismo que está voltado para a prosperidade. Os que pensam assim ficariam mais bem ambientados na igreja do 'bispo' Macedo que promete a felicidade aqui na terra. A Igreja de Cristo nunca prometeu isto a ninguém.

Eu me recordo de um testemunho de um filho espiritual do Padre Pio dizendo-lhe 'eu queria ser santo'. O padre Pio respondeu-lhe 'está bem, mas é uma vida de cachorro'...
Neste mundo egoísta, quem quiser viver o amor será visitado pela cruz.
A felicidade nesta terra está sempre misturada com dor. Felicidade plena e eterna, só no céu.
Até aqui resolvemos um problema teológico.

Tentemos agora uma direção mais espiritual.
Não sejamos hiper-sensíveis. Antes da conversão Sta Terezinha chorava e depois chorava porque tinha chorado. Não devemos nos lamentar e viver uma vida esperando uma colônia de férias!
Não devemos invejar os amigos que vivem uma vida devassa e prosperam, tendo todo tipo de regalia material. Invejar isto é não entender o quanto isto é vazio. Se Deus prometesse isto na terra, estaria fazendo o papel do enganador (igual ao diabo). Ele nos fez para uma felicidade eterna, muito mais plena.

Sto Agostinho: 'Todos querem ser felizes. Como procurar a Vós, Senhor, meu Deus, visto que procurando a Vós procuro a bem-aventurança e a felicidade? Fazei com que Vos procure para que minha alma viva, porque meu corpo vive de minha alma e minha alma vive de Vós'.
A realidade é que só Deus pode nos satisfazer plenamente.

Há tantas famílias que vivem desunidas?
Provavelmente a causa é que estão procurando o paraíso na terra, uma felicidade que ninguém é capaz de fornecer.
Quem casa pensando que vai ser feliz e criar um paraíso na terra, está se iludindo e vai provavelmente terminar fazendo de sua família um inferno.

Um psicólogo judeu, Viktor Frankl, dizia: 'a felicidade é algo que não se obtém quando se busca diretamente, ela se obtém quando abraçamos uma missão árdua'. Isto é que nós cristãos chamamos de cruz e que dá sentido às nossas vidas.

Não devemos invejar os maus. Devemos nos arrepender sim é do pecado. Não devemos nos arrepender de fazer o bem ou de sermos fieis à educação católica, porque as alegrias deste mundo são passageiras e Deus nos fez para uma felicidade muito maior e eterna.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
10 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)