PARRESíA (2151)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Pregações: Parresía - Os Teólogos da Corte - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

Os Teólogos da Corte

Quando foi que a Igreja Católica deixou de ser, no Brasil, a instância profética que questiona? Em que momento ela foi seduzida e tornou-se uma Igreja composta por teólogos da corte — aqueles que compõe o séquito do novo Príncipe, o Partido dos Trabalhadores? Quando foi que ela deixou de ser defender a fé católica e passou a aceitar e a justificar as atitudes do Príncipe? Para onde foi a Igreja Católica do Brasil?

O católico verdadeiro não pode apoiar um governo que não tem ética cristã, que não tem o pudor de promover todo tipo de imoralidade que visa destruir a família, a moral cristã e a herança patrimonial cristã sobre a qual foi construída a nação brasileira. Os teólogos da corte que não temem mais o juízo de Deus, pois deixaram de crer há muito tempo, mas devem temer o julgamento da História, esta sim, irá julgá-las com severidade e, quiçá, condená-los. Afinal, eles buscam retirar do mundo a transcendência.

O único sentimento que o silêncio vil e a covardia produz nos verdadeiros católicos é a vergonha. Vergonha desses teólogos da corte!

Sabemos que historicamente houve uma reflexão filosófica de um Sr. chamado Nicolau Maquiavel em um livro chamado 'O Príncipe'.
E o que Maquiavel pretendia? Dar todo um aparato ideológico para que o príncipe cheguasse ao poder, e poder total.
No século 20 esse livro foi analisado por um comunista, Antonio Gramsci, e ele viu que agora nos temos agora um novo príncipe que é o partido, o partido comunista, o partido socialista que agora deve governar. A realeza, a elite da unanimidade se encarna em um partido. Essas pessoas iluminadas que seguem a ideologia socialista é que devem reger os destinos do mundo e nos governar.

Mas, todo príncipe tem corte e toda corte precisa de seus teólogos. Para infelicidade do nosso país e vergonha da Igreja Católica do Brasil, muitos teólogos de nossa nação se dispõem a ser "teólogos da corte", que agora estão justificando a forma de tomar o poder do partido dos trabalhadores, que adotou uma forma de governar revolucionária, não armada, mas cultural (ver artigos sobre Marxismo Cultural).
O recado desta parresía é mais agressivo e direto. A Igreja Católica no Brasil não está amordaçada, nós católicos estamos nos dispondo a ser teólogos da corte. E o que abriu meus olhos foi quando Gilberto Carvalho, importante homem do governo atual (Lula/Dilma), afirmou que agora o problema não é a oposição, mas os cristãos, a "igreja"... e a igreja a que se referiu são os evangélicos, porque a católica já está domesticada.
Gilberto carvalho foi seminarista... costurando acordos, trazendo para si pessoas importantes da hierarquia católica no Brasil que tornou-se em muitos de seus expoentes, a igreja da corte.
Alguns são teólogos, outros são sacerdotes, outros são bispos... todos têm acordos com o partido no governo, acordos que envergonhariam a qualquer um ao saber como as coisas estão funcionando.
Dizia o ditador alemão Bismarck: "Se o povo soubesse como se fazem as leis e como se fazem as linguiças..." (ou seja, não comeriam linguiças e não obedeceriam as leis).
Podemos também analogamente dizer: se o povo soubesse como se produz teologia neste país, discursos eclesiásticos... não discursos baseados no evangelho e na fidelidade a Nosso Senhor Jesus Cristo, mas dicursos baseados nos interesses do príncipe, do partido que nos governa. São teólogos da corte.
Tenho vergonha como católico, pois o governo não planeja nem minimamente perseguir a Igreja Católica, mas sim combater os evangélicos, porque eles é que estão representando o cristianismo em nosso país!
Você, católico, sabendo disso, não fica envergonhado? Onde está a Igreja? Onde estão os católicos do Brasil? Onde estão os abaixo-assinados? As marchas pela liberdade? Os padres tão proféticos? As greves de fome? Tornamo-nos teólogos (bobos?) da corte e nos ajoelhamos numa genuflexão blasfema diante de um governo que vai perdendo cada vez mais qualquer pudor e limite de moralidade.
Eu me envergonhei de ser católico, não da verdadeira Igreja de Cristo, mas de ser um católico brasileiro no bolso do governo. Nós cristãos, incluindo os evangélicos que são nossos aliados nessa campanha, temos uma antiquíssima tradição de desobediência civil.
Jesus disse 'dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus'. Convém antes obedecer a Deus que aos homens, ensinaram os apóstolos.
Quando os homens começam a perverter a ordem natural e fazer leis contrárias à vontade divina, devemos desobedecer. Se esses homens que nos governam começarem a fazer leis contrárias aos mandamentos de Deus é dever de todo cristão não obedecer a essas leis.

Eu, como sacerdote, não posso ficar ao lado de um governo que não tem nenhuma ética cristã e que promove todo tipo de imoralidade visando destruir nossa herança cristã.
Na década de 40 na Itália aconteceu algo semelhante durante o governo de Mussolini... e muitos padres e bispos tornaram-se teólogos da corte fazendo juramentos e rituais fascistas diante do altar da pátria. Hoje, passados 60 anos, olhando o passado temos vergonha e desprezo daqueles homens que se associaram a um governo tirânico, anticristão e fascista.
Se esses homens no Brasil não temem o juízo de Deus, pois boa parte deles não acredita no inferno mesmo, que temam o juízo da história que os julgará com severiadade como hoje olhamos para aqueles clérigos fascistas que ficaram ao lado de Mussolini e de Hitler e os condenamos.
Olharemos no futuro para esses teólogos que se dizem da libertação, proféticos, que se dizem do lado do povo, mas que estão na verdade do lado da elite governante que com o povo não se importa. Do povo só querem os votos e por isso compram a população com bolsas famílias e coisas assim.

O partido que nos governa já deixou há muito de ter o mínimo pudor. Eles agoras defendem claramente o que pretendem: legalizar o aborto, legalizar o casamento gay, promover o homossexualismo, detruir a família, agilizar o divórcio, perverter os nossos filhos menores de idade que agora podem receber visitas íntimas na cadeia... e por aí vai.
Já passamos do limite há muito tempo! Onde estão as vozes proféticas católicas desta nação? Eu me envergonho deste silêncio vil, desta covardia. Eu me envegonho desses teólogos de corte.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
11 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)