Promessas de Nosso Senhor Jesus Cristo dirigidas a Santa Brígida da Suécia no século 14

Como já há muito tempo Santa Brígida desejasse saber o número de golpes que Nosso Senhor recebeu durante a Paixão, certo dia Ele lhe apareceu, dizendo:

“Recebi em meu corpo 5.480 golpes. Se desejais honrar as chagas que eles me produziram, mediante uma veneração particular, deveis recitar quinze PaiNossos e quinze Ave-Marias, acrescentando as seguintes orações (que Ele lhe ensinou), durante um ano inteiro; quando o ano terminar, tereis prestado homenagem a cada uma das minhas chagas". Ele acrescentou em seguida que quem recitar essas orações durante um ano "conseguirá livrar do Purgatório quinze almas de sua família; quinze justos, também da sua linhagem, serão conservados em graça e quinze pecadores da sua família serão convertidos.

A pessoa que as recitar será elevada ao mais eminente grau de perfeição e quinze dias antes de sua morte, eu lhe darei meu precioso corpo, para que ele seja livre da fome eterna; eu lhe darei também a beber o meu precioso Sangue, a fim de que não padeça sede eternamente; e quinze dias antes de sua morte, ela experimentará uma profunda contrição de todos os seus pecados e um perfeito conhecimento deles. Diante dela eu colocarei o sinal de minha cruz vitoriosa como socorro e defesa contra os embustes de seus inimigos. Antes de sua morte, eu virei em companhia de minha muito cara e bem-amada Mãe, para receber benignamente a sua alma. e conduzi-la às alegrias eternas; e, tendo-a levado até lá, eu lhe darei a beber um trago singular da fonte da minha Divindade, o que não farei, absolutamente, a outros que não hajam recitado as minhas Orações.

Aquele que disser essas Orações pode estar seguro de ser associado ao supremo coro dos Anjos e todo aquele que as ensinar a alguém, terá assegurado para sempre sua felicidade e seus méritos. Sim, eles serão estáveis e durarão perpetuamente.

No lugar onde se encontrarem e onde forem recitadas essas Orações, Deus aí estará também presente com a sua graça”.

Todos esses privilégios foram prometidos à Santa Brígida por Nosso Senhor Crucificado, com a condição de que as citadas orações fossem recitadas diariamente. São, igualmente, prometidos a todos quantos as recitarem devotamente, durante um ano inteiro.

 

ORAÇÕES

Nota: as orações foram adaptadas por Claudio Maria.

 

Primeira Oração

Senhor Jesus Cristo, doçura eterna para aqueles que vos amam, alegria que ultrapassa toda alegria e todo o desejo, esperança de salvação dos pecadores que declarastes não terdes maior contentamento do que estar entre os homens, até ao ponto de assumir a nossa, natureza, na plenitude dos tempos, por amor deles, lembrai-vos dos sofrimentos, desde o primeiro instante de vossa Conceição e sobretudo durante a vossa Santa Paixão, assim como havia sido decretado e estabelecido desde toda a eternidade na mente divina. Lembrai-vos, Senhor, que, celebrando a Ceia com os vossos discípulos, depois de lhes haverdes lavado os pés, destes-lhes o vosso Sagrado Corpo e precioso Sangue e consolando-os docemente lhes predissestes vossa Paixão iminente. Lembrai-vos da tristeza e da amargura que experimentastes em vossa alma, como o testemunhastes, Vós mesmo, por estas palavras: "Minha alma está triste até à morte". Lembrai-vos, Senhor, dos temores, angústias e dores que suportastes em vosso corpo delicado antes do suplício da cruz, quando, de pois de ter rezado por três vezes, derramando um suor de sangue, fostes traído por Judas, vosso discípulo, preso pela nação que escolhestes, acusado por testemunhas falsas, injustamente julgado por três juízes, na flor da vossa juventude e no tempo solene da Páscoa. Lembrai-vos que fostes despojado das vossas próprias vestes e revestido das vestes de irrisão; que vos velaram os olhos e a face, que vos deram bofetadas, que vos coroaram de espinhos, que vos puseram uma cana na mão e que, atado a uma coluna, fostes despedaçado por golpes e acabrunhado de afrontas e ultrajes. Em memória dessas penas e dores que suportastes antes da vossa Paixão sobre a cruz, concedei-nos, antes da morte, uma verdadeira contrição, a oportunidade de nos confessar com pureza de intenção e sinceridade absoluta, uma adequada satisfação e a remissão de todos os nossos pecados. Amém.

Pater, Ave

 

Segunda Oração

Senhor Jesus, verdadeira liberdade dos Anjos, paraíso de delícias, lembrai-vos do peso acabrunhador de tristeza que suportastes quando vossos inimigos, como leões furiosos, vos cercaram e, por meio de mil injúrias, escarros, bofetadas, arranhões e outros inauditos suplícios, vos atormentaram à porfia. Em consideração desses insultos e desses tormentos eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis libertar-nos dos nossos inimigos visíveis e invisíveis e fazer-nos chegar, com o vosso auxílio, à perfeição da salvação eterna. Amém.

Pater, Ave

 

Terceira Oração

Senhor Jesus, Criador do céu e da terra, a quem coisa alguma pode conter ou limitar, Vós que tudo abarcais e tendes tudo sob vosso poder, lembrai-vos da dor, repleta de amargura, que experimentastes quando os soldados, pregando na cruz vossas sagradas mãos e pés tão delicados, transpassaram-nos com grandes e rombudos cravos e, não vos encontrando no estado em que teriam desejado para dar largas à sua cólera, dilataram as vossas chagas, exacerbando assim as vossas dores. Depois, por uma crueldade inaudita, vos estenderam sobre a cruz e vos viraram de todos os lados, deslocando, assim, os vossos membros. Eu vos conjuro, pela lembrança dessa dor que suportastes na cruz com tanta santidade e mansidão, que vos digneis conceder-nos um coração puro e uma alma sem pecado, o vosso temor, a vossa obediência, o vosso amor e os dons do Espírito Santo! Amém.

Pater, Ave

 

Quarta Oração

Senhor Jesus, médico celeste, que fostes elevado na cruz a fim de curar as nossas chagas por meio das vossas, lembrai-vos do abatimento em que vos encontrastes e das contusões que vos infligiram em vossos sagrados membros, dos quais nenhum permaneceu em seu lugar, de tal modo que dor alguma poderia ser comparada à vossa. Da planta dos pés até o alto da cabeça nenhuma parte do vosso corpo esteve isenta de tormentos; e, entretanto, esquecido de vossos sofrimentos, não vos cansastes de suplicar a vosso Pai pelos inimigos e pessoas que vos cercavam, dizendo-Lhe: "Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem". Por esta grande misericórdia e em memória dessa dor, fazei com que a lembrança de vossa Paixão, tão impregnada de amargura e amor, opere em nós uma perfeita contrição e a remissão de todos os nossos pecados. Amém.

Pater, Ave

 

Quinta Oração

Senhor Jesus, espelho do esplendor eterno, lembrai-vos da tristeza que sentistes, quando, contemplando à luz da vossa divindade o destino daqueles que deviam ser salvos pelos méritos de vossa santa Paixão, contemplastes, ao mesmo tempo, a multidão dos réprobos que deviam ser condenados por causa de seus pecados e lastimastes amargamente a sorte desses infelizes pecadores, perdidos e desesperados. Por este abismo de compaixão e de piedade e, principalmente, pela bondade que manifestastes ao bom ladrão, dizendo-lhe: "Hoje estarás comigo no Paraíso", eu vos suplico, ó doce Jesus, que na hora de nossa morte, useis de misericórdia para conosco também. Amém.

Pater, Ave

 

Sexta Oração

Senhor Jesus, Rei amável e todo desejável, lembrai-vos da dor que experimentastes quando, nu e como um miserável, pregado e levantado na cruz, fostes abandonado por todos os vossos parentes e amigos, com exceção de vossa Mãe bem-amada que permaneceu em companhia de São João muito fielmente junto de vós na Agonia; lembrai-vos de que os entregastes um ao outro, dizendo: "Mulher, eis aí o teu filho!" e a João; "Eis aí a tua Mãe!" Eu vos suplico, ó meu Salvador, pela espada de dor que então transpassou a alma de vossa santa Mãe, que tenhais compaixão de nós em todas as nossas angústias e tribulações tanto corporais como espirituais e que vos digneis assistir-nos nas provações que nos sobrevierem, especialmente na hora de nossa morte. Amém.

Pater, Ave

 

Sétima Oração

Senhor Jesus, fonte inexaurível de piedade que, por uma profunda ternura de amor, dissestes sobre a Cruz: "Tenho sede", sede da salvação do gênero humano, eu vos suplico, ó meu Salvador, que vos digneis estimular o desejo nossos corações de tender à perfeição em todas as nossas obras, que sejam dedicadas a Vós, e extinguir por completo em nós a concupiscência carnal e o ardor dos desejos mundanos que levam ao pecado. Amém.

Pater, Ave

 

Oitava Oração

Senhor Jesus, doçura dos corações, suavidade dos espíritos, pelo amargo sabor do fel e do vinagre que provastes sobre a cruz por amor de todos nós, concedei-nos a graça de receber dignamente vosso Corpo e vosso preciosíssimo Sangue durante nossas vidas e na hora da morte, a fim de que nos sirvam de remédio, consolo e salvação. Amém

Pater, Ave

 

Nona Oração

Senhor Jesus, virtude real, alegria do espírito, lembrai-vos da dor que suportastes quando, mergulhado na amargura ao sentir aproximar-se a morte, insultado e ultrajado pelos homens, experimentastes haver sido abandonado por vosso Pai dizendo-Lhe em nome de cada um de nós, “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?” Por essa angústia eu vos conjuro, ó meu Salvador, que não nos abandoneis nas aflições e nas dores, especialmente na hora da morte. Amém.

Pater, Ave

 

Décima Oração

Senhor Jesus, que sois em todas as coisas começo e fim, vida e virtude, lembrai-vos de que por nós fostes mergulhado num abismo de dores, da planta dos pés até o alto da cabeça. Em consideração da extensão de vossas chagas, ensinai-nos a guardar os vossos mandamentos, mediante uma sincera caridade e fazendo com que esses mandamentos sejam caminho espaçoso e .agradável para todos aqueles que vos amam e procuram. Amém.

Pater, Ave

 

Décima-primeira. Oração

Senhor Jesus, profundíssimo abismo de misericórdia, suplico-vos, em memória de vossas chagas que penetraram até à medula de vossos ossos e atingiram até vossas entranhas, que vos digneis afastar-nos, pobres pecadores, do lodaçal de ofensas em que estamos submersos, conduzindo-nos para longe do pecado. Suplico-vos também esconder-nos de vossa Face quando zangada, ocultando-nos dentro de vossas chagas até que vossa reação e justa indignação tenham passado. Amém.

Pater, Ave

 

Décima-segunda Oração

Senhor Jesus, espelho de verdade, sinal de unidade, laço de caridade, lembrai-vos dos inumeráveis ferimentos que recebestes, desde a cabeça até os pés, ao ponto de ficardes dilacerado e coberto pela púrpura de vosso sangue adorável. Ó, quão grande e universal foi a dor que sofrestes em vossa carne virginal por nosso amor! Dulcíssimo Jesus, que poderíeis fazer por nós que não o houvésseis feito?

Eu vos conjuro, ó meu Salvador, que vos digneis imprimir, com o vosso preciosíssimo Sangue, todas as vossas chagas em nossos corações, a fim de que nos relembremos, sem cessar, vossas dores e vosso amor. Que pela fiel lembrança de vossa Paixão, o fruto dos vossos sofrimentos seja renovado em nossas almas e que vosso amor vá crescendo em nós cada dia mais, até que eu nos encontremos finalmente convosco, que sois o tesouro de todos os bens e a fonte de todas as alegrias. Ó dulcíssimo Jesus, concedei-nos poder gozar e participar de semelhante ventura hoje,agora e sempre na vida eterna. Amém.

Pater, Ave

 

Décima-terceira Oração

Senhor Jesus, fortíssimo Leão, rei imortal e invencível, lembrai-vos da dor que vos acabrunhou quando sentistes esgotadas todas as vossas forças, tanto do coração como do corpo e inclinastes a cabeça, dizendo: "Tudo está consumado!"

Por esta angústia e por esta dor, eu vos suplico, Senhor Jesus, que tenhais piedade de nós, especialmente quando soar nossa última hora e estivermos amargurados e cheios de aflição. Amém.

Pater, Ave

 

Décima-quarta Oração

Senhor Jesus, filho único do Pai, esplendor e imagem da sua substância, lembrai-vos da humilde recomendação que Lhe dirigistes, dizendo: "Meu Pai, em vossas mãos entrego o meu espírito'" Depois expirastes, estando vosso corpo despedaçado, vosso coração transpassado e as entranhas de vossa misericórdia abertas para nos resgatar! Por essa preciosíssima morte eu vos conjuro, ó Rei dos Santos, que nos deis força e socorrais para resistir ao demônio, à carne e ao sangue, a fim de que, estando mortos para o mundo, possamos viver somente em Vós. Na hora de nossa morte, recebei-nos; eu vos peço, peregrinos e exilados que Vos procuram e retornam para Vós. Amém.

Pater, Ave

 

Décima-quinta Oração

Senhor Jesus, vide verdadeira e fecunda, lembrai-vos da abundante efusão de sangue que tão generosamente derramastes de vosso sagrado corpo, assim como a uva é triturada no lagar. Do vosso lado, aberto pela lança de um dos soldados, jorraram sangue e água, de tal modo que não retivestes uma gota sequer; e. enfim, como um ramalhete de mirra, elevado na cruz, vossa carne delicada se aniquilou; feneceu o humor de vossas entranhas e secou até a medula de vossos ossos. Por esta tão amarga Paixão e pela efusão de vosso preciosíssimo. Sangue, eu vos suplico, Senhor bom Jesus, recebei-nos quando estivermos na agonia, na aflição, no sofrimento e não nos abandoneis em nenhum momento, nem na tristeza ou na alegria, nem antes e nem depois da morte. Assim seja.

Pater, Ave

 

Oração Final

Senhor doce Jesus, vulnerai nossos corações a fim de que lágrimas de arrependimento, compunção e  amor, noite e dia nos sirvam de alimento; convertei-nos inteiramente a vós; que nossos corações vos sirvam de perpétua habitação; que nossas condutas vos sejam agradáveis e nossas vidas sejam de tal modo edificantes que possamos ser admitidos no vosso paraíso onde, com todos os vossos Santos, havemos de vos louvar com grande alegria para sempre. Amém.

 


Pergunte e Responderemos
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
8 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)