SACRAMENTOS (2256)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Pregações: Sacramentos - Integridade do Sacramento da Confissão - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

Integridade do Sacramento da Confissão
O que é necessário para se confessar bem?

Para que tenhamos o sacramento da penitência validamente administrado, o mínimo é o padre ter a faculdade de absolver os pecados (autoridade que recebe do bispo) e a pessoa estar arrependida. Isto está prescrito no código canônico da Igreja.

Para que o sacramento seja administrado na integridade é necessário:
1- que a pessoa conte todos os seus pecados graves incluindo as circunstâncias (os veniais é aconselhável, claro, mas a obrigação são os graves que precisam ser manifestos)
2- esteja arrependida dos pecados
3- receba do sacerdote uma penitência
4- a absolvição

Contar os pecados é obrigação do penintente e ouvi-los é obrigação do confessor.

Se o sacerdote não realiza integralmente uma confissão, ouvindo todos os pecados com atenção, por exemplo, pode haver a infração de uma lei por parte do sacerdote, mas havendo absolvição a confissão é válida para o penitente.

Também é obrigação do sacerdote impor uma obra satisfatória (a penitência), como prescrito pela Igreja e que o penitente tem a obrigação de cumprir.
E qual a finalidade dessas obras satisfatórias?
É necessário que a satisfação seja realmente remédio para o pecado.
O pecado pode estrar perdoado, mas a pessoa continua doente, ela precisa fazer algo para se tornar uma pessoa melhor. É a ascese, uma vida de conversão.

Quando a pessoa tem um pecado grave, ainda mais um vício, é muito adequado que se dê um remédio, algo que ajude a pessoa a sair daquela situação. Mesmo que o padre não imponha isso como penitência, o padre deveria aconselhar o penitente com caminhos de obras satisfatórias. O fiel deve ser exortado a fazer algo no sentido de melhorar sua vida espiritual.

Nós não precisamos esperar que os sacerdotes nos deem penitências, mas nós mesmos podemos dentro da tradição da Igreja fazer penitências e assim ensinar nosso coração a amar. Neste mundo, só é possível amar se fizermos alguma mortificação. Não é possível amar sem morrer, não neste mundo, pois amor e cruz estão abraçados.
Se você quer sair do egoísmo e do pecado e quer ir em direção ao amor, esse amor precisa ser sacrifício.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
8 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)