PERGUNTE e RESPONDEREMOS 031 – julho 1960

 

Católico pode pertencer à Ordem de Rosa Cruz?

MILITANTE (Rio de Janeiro): "Conheço pessoas que recebem os sacramentos na Igreja Católica e, ao mesmo tempo, são filiadas à Ordem de Rosa-Cruz ou a semelhantes escolas de Filosofia. Será isto tolerável?"

 

Não. Tal associação não pode de modo nenhum ser justificada aos olhos da consciência católica. A razão desta negativa não é uma pretensa mentalidade sectária ou estreita que se atribui ao Catolicismo. Lembremo-nos, antes, de que a dignidade humana mesma rejeita qualquer incoerência ou contradição do homem consigo mesmo; ora há contradição da parte de quem quer aderir simultaneamente ao Catolicismo o ao Rosacrucianismo ou ao ocultismo.

 

Mas como há contradição se tanto o Catolicismo como a Ordem do Rosa-Cruz ou o ocultismo visam incitar seus adeptos à prática do bem o à fuga do vício?

 

Verdade é que, no tocante às recomendações práticas ou na Ética, há maior ou menor afinidade entre as citadas denominações. Acontece, porém, que o homem não pode praticar o bem sem saber previamente o que é o bem e o que é o mal, ou, com outras palavras:... sem ter uma certa filosofia da vida,... sem, antes do mais, estabelecer uma hierarquia de valores. Ninguém pratica ou trabalha em alguma coisa sem luz; ora a luz, no nosso caso, é a filosofia. Pois bem: a filosofia da vida cristã é diametralmente diversa da filosofia rosacruciana ou ocultista. Sim ; para o cristão o primeiro Valor, Deus, é distinto da natureza e do homem; é um Ser Pessoal, que conhece e ama, a ponto de se apresentar como o "Pai nosso que está nos céus". Ao contrário, para a Ordem de Rosa-Cruz, Deus é uma substância neutra, identificada com o mundo e com o homem; é a Mente Cósmica, que vai tomando consciência de si dentro do homem, na medida em que este se aperfeiçoa; a criatura humana é uma centelha ou uma parte de deus mesmo... (filosofia esta panteísta ou monista).

 

Essas duas concepções, como se vê, não se podem conciliar ; há contradição entre elas como entre Verdade e erro. Errônea, sim, é a filosofia que admite identidade entre Deus — o Absoluto e Infinito — e o homem — ser mutável e finito. Não há transição do Infinito, Eterno para o finito, temporal, e vice-versa ; cf. "P.R." 7/1957, qu. 1 e 30/1960, qu. 4.

 

Na prática, portanto, vem a ser ilógico, contraditório querer professar o Catolicismo, mediante a recepção dos sacramentos na Igreja, e o Rosacrucianismo ou o ocultismo, mediante a participação dos atos e cursos deste sistema filosófico. Quem tente fazer esse duplo papel, não pode ser nem bom católico nem. bom rosacruciano; somente a falta de esclarecimento pode justificar tal jogo... Verdade é que a filosofia rosacruz, como aliás todas as correntes de filosofia panteísta-monista, encobre seu erro usurpando fórmulas semelhantes às dos católicos para se referir a Deus, supondo destarte um Deus pessoal, transcendente, distinto do homem. É somente por se dissimular assim que o monismo-panteísmo pode captar a adesão de católicos.

 

Verifica-se outrossim que a "Rosa-Cruz" faz questão de dizer que não é Religião e que, por isto, se concilia com qualquer religião. Na realidade, porém, o Rosacrucianismo incute uma visão do homem e do universo tão característica que, na medida em que se revela, ela vai excluindo qualquer outro modo de ver ou qualquer religião. A "Rosa-Cruz" vem a ser a "Religião" do seu discípulo.

 

De resto, um católico rosacruciano só pode receber validamente a absolvição sacramentai e fazer uma comunhão eucarística frutuosa, caso declare ao confessor que professou o Rosacrucianismo e proponha firmemente não mais o professar. Se não há propósito firme de se desligar da escola rosacruz, não adianta perante Deus receber os sacramentos católicos. Do seu lado, nenhum sacerdote pode em consciência permitir que o penitente continue a viver em contradição consigo mesmo e com Deus.

 

O mesmo se deve intimar às pessoas que pretendem ser católicas e espíritas ao mesmo tempo. Embora o espiritismo não professe o panteísmo, contradiz em muitos pontos à verdade cristã, de modo a induzir à incoerência (consigo e com Deus) aqueles que julgam poder fazer duplo jogo.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
-
#0•A2656•C651   2015-03-03 00:16:56 - Convidado/elisangelamedeirosf@hotmail.com
Boa noite!
Estou passando por momento de depressão e fui convidada a participar de um dia na rosa cruz.
Sou católica,porem minha depressão veio de palavras horríveis por parte da minha madrinha de batismo.
eu serei condenada pela igreja se for a uma palestra da rosacruz?

Att.
Elisangela

Responder

#1•R651•C839   2016-07-31 06:31:49 - Convidado/Tiagopucca@gmail.com
Ola! Foi rosacruz por mais de 8 anos e posso lhe afirmar trtar-se de doutrina perversa. Se desejar saber mais detalhes ficarei a disposicao atraves de meu email tiagopucca@gmail.com

Responder

#1•R651•C652   2015-03-03 09:09:32 - 1/Manager
Para que ir atrás de uma palestra que não é recomendada a um cristão?

Eis o que diz Dom Estêvão Bettencourt a uma pergunta similar:

MILITANTE (Rio de Janeiro): "Conheço pessoas que recebem os sacramentos na Igreja Católica e, ao mesmo tempo, são filiadas à Ordem de Rosa-Cruz ou a semelhantes escolas de Filosofia. Será isto tolerável?"

Não. Tal associação não pode de modo nenhum ser justificada aos olhos da consciência católica. A razão desta negativa não é uma pretensa mentalidade sectária ou estreita que se atribui ao Catolicismo. Lembremo-nos, ant......

Ler mais...  -  Responder

:-)