TESTEMUNHOS (7758)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Ex-pastor protestante explica a fórmula que usava para “converter” católicos

 

 

Eu fui protestante durante vinte anos antes de me converter ao catolicismo.

Eu fiz muitas pessoas deixarem a Igreja Católica. Minha fórmula para os católicos deixarem a Igreja em geral era composta de três etapas.

 

Passo 1: Convidar os católicos a terem uma experiência de conversão em um ambiente protestante.

 

Muitas comunidades eclesiais fundamentalistas, evangélicas e carismáticas têm programas dinâmicos para os jovens, intensos ofícios religiosos toda quarta-feira e domingo à tarde e pequenos grupos de estudos bíblicos. Além disso, eles patrocinam cruzadas, seminários e concertos especiais. Os católicos, convidados por um amigo protestante, podem assistir a um ou mais desses eventos sem deixarem sua participação nas missas de domingo em sua paróquia local.

 

A exposição da doutrina protestante é simples: se arrependerem de seus pecados e seguir a Cristo na fé. Além disso, salientam a importância de uma relação pessoal com Jesus e a recompensa da vida eterna. A maioria dos católicos que frequenta estes eventos não está acostumada a ouvir tais desafios diretos a abandonar o pecado e seguir a Cristo. Consequentemente, muitos católicos experimentam uma verdadeira conversão.

Devemos louvar o fervor protestante, colocando-o para promover conversões.

 

Os líderes católicos devem aumentar as oportunidades para as pessoas terem e se agruparem em um ambiente católico.

A razão é simples: cerca de cinco em cada dez pessoas adotam a crença na qual experimenta sua conversão. Esta percentagem é ainda maior para aqueles com conversões profundas ou experiências carismáticas graças a protestantes. (acreditem em mim, eu sei muito bem, me formei em uma escola da Assembleia de Deus e fui ministro da juventude em duas comunidades carismáticas).

 

Pastores, líderes da juventude, ministros e leigos estão bem cientes de que as experiências de conversão em ambientes protestantes muitas vezes causam a adesão à fé e à “igreja” protestante.

 

Questões importantes:

 

Por que existem tantos líderes católicos que não têm conhecimento disto?

Por que são tão indiferentes a um processo que tirou centenas de milhares de católicos da Igreja?

 

 

Passo 2: “Dê à conversão uma interpretação protestante”.

 

A conversão genuína é uma das experiências de vida mais preciosas, comparável ao casamento ou ao nascimento de uma criança. A conversão desperta uma fome profunda de Deus. Os ministros protestantes eficazes treinam seus trabalhadores para que deem seguimento a esse vivo desejo espiritual.

 

Antes de uma cruzada em um estádio, ele capacita seus trabalhadores por seis semanas. Ele mostra como apresentar uma interpretação protestante da experiência de conversão fazendo uso seletivo de versículos da Bíblia.

A citação escolhida, é claro, João 3.3, o verso sobre “nascer de novo”: “Jesus lhe respondeu: Eu lhe asseguro, se alguém não nascer de novo, não poderá  ver o reino de Deus”.

 

Ele está usando uma técnica semelhante à “touch and go” que é usada em treinamento de pilotos para pousos e decolagens. Jogamos João 3,3 brevemente para mostrar que era necessário nascer de novo para a vida eterna. Logo a conversão era descrita em termos de nascer de novo. Fazíamos uma abordagem rápida antes de ler João 3.5 que enfatiza a necessidade de nascer da água e do Espírito.

 

Porém, nunca se dizia a eles que por 20 séculos as igrejas ortodoxas e católicas, ecoando os ensinamentos unânimes dos Padres da Igreja, entendiam essa passagem como referência ao sacramento do batismo! E, obviamente, nunca fazia a citação de Tito 3.5 (“Nos salvou … pela regeneração pelo batismo e renovação pelo do Espírito Santo”) como referência paralela à João 3: 5.

 

à Na minha experiência como protestante, todos os católicos que tiveram uma conversão em um ambiente protestante não tinham firme conhecimento da fé católica.

 

Em vinte anos de ministério protestante, eu nunca conheci um católico que sabia que João 3: 3-8 descreve o sacramento do batismo. Assim, não era muito difícil convencê-los a ignorar os sacramentos e, ao mesmo tempo, a igreja que os praticava, ensinava e enfatizava.

 

O livro de Provérbios diz:

Quem advoga sua causa, por primeiro, parece ter razão; sobrevém a parte adversa, que examina a fundo “(18:17).

Católicos que não têm uma base bíblica para as suas crenças nunca ouvem o resto da história. Meu uso seletivo da escritura fazia parecer que a perspectiva protestante tinha todas as luzes seguras. Ao longo do tempo, esta abordagem unilateral das escrituras fazia os católicos rejeitarem sua fé católica.

 

 

Passo 3: “Acusar a Igreja Católica de negar a salvação pela graça.”

 

Os católicos geralmente consideram que os protestantes que fazem proselitismo são intolerantes. Isto é injusto e impreciso; uma profunda caridade vigoriza seu fervor equivocado.

Só havia uma razão que me fazia tirar os católicos de sua Igreja: pensava que estavam indo para o inferno!

Eu pensava que a Igreja Católica negava a salvação pela graça. Eu sabia que qualquer um que acreditasse nisso não ganharia o Céu.

 

Eu usava Efésios 2,8-9 para convencer os católicos que era essencial deixar a Igreja: “Porque fostes salvos pela graça mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; Não vem das obras, para que ninguém se glorie. “

Primeiro, dizia “a Bíblia indica que a salvação é pela graça e não pelas obras. Certo? ” A resposta foi sempre sim.

Então dizia “a Igreja Católica ensina que a salvação é pelas obras. Certo? ”

Eu nunca conheci um católico que não dissesse sim! Absolutamente todos os católicos que conheci durante meus 20 anos de ministério confirmaram minha ideia equivocada de que o catolicismo ensinava que a salvação era pelas obras e não pela graça)!

Finalmente, lhes dizia “a Igreja Católica está sendo fiel ao inferno quando nega que a salvação seja pela graça. Melhor fazer parte de uma igreja que ensina o verdadeiro caminho para o céu!“.

 

Como também fazia uma rápida revisão do livro de Efésios, eu raramente citava versículo 10 que diz:

“Com efeito, somos obras sua criados em Cristo Jesus para as boas obras, que Deus de antemão preparou para que nós praticássemos.”

 

Preste muita atenção ao Evangelho que pregam nos estádios, na televisão e no rádio. Nove em cada dez vezes enfatizam Efésios 2,8-9, mas nunca mencionam o versículo seguinte:

Porque é gratuitamente que fostes salvos mediante a fé. Isto não provém de vossos méritos, mas é puro dom de Deus.

Não provém das obras, para que ninguém se glorie.

Somos obra sua, criados em Jesus Cristo para as boas ações, que Deus de antemão preparou para que nós as praticássemos.

Isso é uso seletivo das escrituras.

 

O Catolicismo ensina e acredita na mensagem completa de Efésios 2, 8-10, sem equívocos ou cerceando a verdade.

Por vinte séculos da Igreja Católica fielmente ensinou que a salvação é pela graça.

Pedro, o primeiro Papa disse:

“Mas nós acreditamos que somos salvos pela graça do Senhor Jesus” (Atos 15, 11).

 

O Catecismo da Igreja Católica, totalmente endossado pelo Papa João Paulo II, diz: “Nossa justificação vem da graça de Deus” (No. 1996).

 

O protestantismo começou quando Martinho Lutero declarou que somos justificados (feitos justos) pela fé. Quando trabalhava para que os católicos deixassem a Igreja, eu não me dava conta que Martinho Lutero acrescentou a palavra “somente” à sua tradução de Romanos 3:28 para provar sua doutrina.

A palavra “apenas” não é encontrada em qualquer tradução contemporânea protestante em inglês de Romanos 3, 28)!!

 

Eu não percebi que o único lugar na Bíblia que a menção de “fé somente” no contexto da salvação é em São Tiago 2,24, onde a ideia de somente fé é explicitamente REFUTADA:

Você vê como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé.”

 

Este versículo era perturbador, mas eu o ignorei ou deturpei inconscientemente para significar outra coisa que o versículo e seu contexto claramente ensina!

Steve Wood

 

 

Quem é Steve Wood?

Ex-diretor do Instituto Bíblico da Flórida, ex-pastor de uma igreja evangélica interdenominacional. Ele também estava servindo em Costa Mesa na Igreja Evangélica “El Calvario” ao fazer os seus estudos em um instituto da Assembleias de Deus. Ele trabalhou em projetos de evangelização da juventude; foi líder de ministérios evangélicos na prisão; organizou o Instituto de estudo bíblico para adultos. Em seguida, fez estudos de pós-graduação no famoso Seminário Evangélico de Teologia de Massachusetts Gordon-Conwell.

 

Entre outras coisas em seu testemunho de conversão Steve diz:

 

Quanto mais eu estudava os primeiros séculos da igreja primitiva mais eu percebia que se assemelhava a Igreja Católica. Estudar mais os “primeiros padres da Igreja” e examinar mais a Bíblia. Mas houve uma confusão em mim. Para piorar as coisas, eu descobri que dois dos meus colegas do seminário mais inteligentes e anticatólicos começaram também a pensar em se tornarem católicos. “Um dia, quando estava pregando”, continuou Steve dizendo: “Eu senti o Senhor me dizendo: ‘Agora ou nunca’. Em meio a tudo isso eu percebi a fé verdadeira e reconheci que ia perder tudo: Perder o meu emprego como pastor; eu não poderia sustentar a minha família, era a minha carreira e meu chamado. Eu tinha passado 20 anos me preparando para ser um ministro protestante e Deus me disse: Faça isso agora! … e eu fiz ”

“Pedi desculpas à minha congregação reunida. Os líderes anciãos me ouviram. Eu lhes disse que não podia continuar enganando a mim mesmo. Minha peregrinação à Igreja que Cristo fundou, a Católica, já tinha começado. Então eu orei mais, estudei mais, conheci a plenitude e cheguei. A plenitude de um relacionamento pessoal com Cristo é ter uma relação pessoal também com o corpo de Cristo, a Sua Igreja (1 Cor 12) Católica.

 

Fonte: leia na íntegra em inglês catholiceducation.org

Tradução: romadesempre


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
13 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
#0•A3465•C832   2016-07-22 10:52:36 - Convidado/Dani Acioli
DESMASCARANDO A IDOLATRIA EVANGÉLICA E BAJULAÇÃO AO PASTOR VON HELDER VIA CACP

Von Helder chutou a santa. Fato púbico e notório. E pode ser visto em larga escala na Internet.
Sugestões:
Em 28/09/2015, no endereço eletrônico: https://www.youtube.com/watch?v=WPIoxanOkxI
Em 30/10/2015: http://noticias.gospelmais.com.br/chutar-santa-bispo-von-helde-retorna-brasil-70683.html

O gesto de Von Helder foi uma espécie de “libertação” para muitos grupos evangélicos.
É verdade que alguns condenaram a bravata de Von Helder. Felizmente, a maior parte ......

Ler mais...  -  Responder
#0•A3465•C687   2015-07-08 15:01:15 - Convidado/Dani Acioli
EVANGÉLICOS CONDENAM SEUS CULTOS, PASTORES E TEMPLOS
==================================================
Reconheço que é direito de todo e qualquer cidadão professar sua crença livremente, sem embaraços. Repudio toda e qualquer forma de cerceamento religioso. Não concordo com ataques dirigidos a honra das pessoas. As críticas e divergências devem ser limitadas às questões de fé e doutrina. Não admito deboches ou zombarias de qualquer tipo.
Introdução: Como os evangélicos condenaram seus próprios cultos, pastores e templos ?
Os evangélicos dizem que já estão salvos. E......

Ler mais...  -  Responder

:-)