HOMILIAS (7010)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Pregações: Homilias - A Humilhação da Mulher Cananeia - por Padre Paulo Ricardo

A Humilhação da Mulher Cananeia

O mistério pascal joga uma luz imensa neste evangelho de interpretação tão difícil. Vemos na mulher Cananeia um coração configurado ao de Cristo crucificado.

Nosso Senhor, em sua gloriosa Paixão, com imensa humildade e confiança, suporta as demoras do Pai que só atende as suas súplicas na manhã de Páscoa. Mas de forma maravilhosa, neste drama de amor, Jesus dá ao Pai e a nós o dom extraordinário de um coração criado que, finalmente, ama a Deus e aos irmãos desde nossa humanidade humilhada.

Mateus 15,21-28
Este é um evangelho especialmente difícil de interpretação. Jesus se afasta da terra santa e vai para a região de Tiro e Sidonia onde uma mulher Cananeia pede-lhe que livre sua filha atormentada por um demônio.
A reação de Jesus é surpreendente, pois parece indiferente. Primeiro Jesus não responde nada. Então, os discípulos intercedem e Jesus nega dizendo "fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel". A mulher porém prostra-se diante de Jesus e persiste. Jesus então reage de forma ainda mais brusca. Como a mulher insiste, admirado por sua fé, Ele enfim liberta a filha da mulher e enaltece sau fé..

Antes do sacrifício da cruz, Ele lava os pés dos discípulos, mostrando que quem ama se humilha.
Jesus define sua morte humilhante como um serviço, para nos salvar, para realizar o bem.
E isso ilumina o episódio da mulher Cananeia. Ela também se humilha para poder obter a libertação da filha. São o amor e a confiança que movem a mulher, fazendo-se pequenina e criatura que adora o criador, que aceita sua condição. Ela confia que Deus dá de comer às suas criaturas, mesmo não sendo dignas.
É essa atitude de humilhação e de pequenez diante de Deus que está a chave da explicação desse evangelho.

O silêncio de Deus nos humilha quando passamos pelo vale da morte, pela aridez que nos faz pensar que Deus está distante. E de onde tirar forças para persistir?
No próprio Deus, Jesus na cruz que desceu e se inclinou como escravo humilhado e lavou os pés dos discípulos.
Nós não podemos dizer que Deus não sabe como sofremos ou o que seja o sofrimento, pois Ele desceu até nós, ele veio até o vale da morte.
Na cruz Jesus suportou o silêncio do Pai !
Foi nosso pecado original que criou essa ilusão da distância de Deus.

No final do episódio, Jesus enaltece a atitude da mulher e glorifica sua fé, assim como Ele mesmo foi glorificado na ressurreição.
Ela é a chave de leitura da nossa humilhação, fazendo-nos notar que não estamos sozinhos.
Quando estou crucificado é Cristo que está em mim, vivendo crucificado.

A ressurreição de Jesus foi a resposta de Deus às súplicas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus retarda as vezes sua ação, porque quer seus filhos mostrem seu amor, pois Deus quer ser amado por nós; embora um amor frágil e dificultoso, Ele não o rejeita.
Se tudo fosse fácil, só orar e receber, como demonstraríamos amor e fidelidade a Deus? Quando Ele se esconde atrás de um véu de silêncio é porque Ele quer que O busquemos e com isso demonstremos nosso amor por Ele.
Deus quer que tenhamos sede dEle. "Minha alma tem sede de Deus", como diz o salmo. E que esse desejo se transforme numa demonstração de amor, como fez a mulher Cananeia.

Precisamos aprender a sofrer as demoras de Deus porque assim estamos fazendo como Jesus fez ao esperar a ressurreição após a cruz na manhã de Páscoa.
Que beleza é essa demora, por que somente nela podemos demonstrar nosso amor.
Para ter essa capacidade Cristo se fez homem e nos deu de presente o seu coração, onde vemos o coração fiel do filho que se prostra em adoração e confia.

Deus nos dá todas as graças e tudo o necessário para amar, mas só nós podemos fazê-lo.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)