PARRESíA (2217)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Pregações: Parresía - O que mudou depois do 11 de setembro? - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

O que mudou depois do 11 de setembro?

Depois de 10 anos passados, qual é o balanço geral que podemos ter desses eventos?

O terrorismo, segundo Lênine, é a propaganda armada.
Para entender a naturza de um ato terrorista é preciso compreender que ninguém jamais ganhou uma guerra com atos terroristas. Mas eles têm um objetivo muito específico: a propaganda armada.
O 11 de setembro foi uma propaganda para obter algo.
Depois de um evento desse tipo segue-se uma série de informações midiáticas e é analisando essa série que podemos dizer quem saiu ganhando.

E quem foi o grande ganhador desse evento? Os muçulmanos extremistas e fanáticos. E por que?
Através desse ato terrorista eles ganharam passe livre, imunidade da comunidade politicamente correta, pois não se pode mais falar mal do radicalismo muçulmano, ou você será chamado de radical e intolerante.

Devemos analisar os fatos midiáticos e a realidade desses últimos dez anos:
Entre os muçulmanos, temos dois grupos. A maior parte que são pessoas pacíficas e ordeiras, que sabem viver na paz e na justiça. Mas há também um grupo de muçulmanos fanáticos que enveredaram pelo caminho do terrorismo, fazendo todo tipo de arruaça e todo tipo de pressão, para vencer uma guerra santa através desses atos, com propósitos religiosos.
Não estou dizendo que todos os muçulmanos são assim, mas que há um grupo assim é fato. Estes homens maus e fanáticos foram os grandes ganhadores. Ganharam um passe livre. E que passe livre?? O passe livre do politicamente correto, pois não se pode mais falar contra o fanatismo muçulmano.
A propaganda armada do 11 de setembro teve uma vitória política. São intolerantes aqueles que os acusam, mesmo sendo realidade.

E os católicos?
Gente com medo vivendo em tocas escondidos, como se não tivéssemos o direito de manifestar opinião.

Quando o Papa Bento XVI fez uma conferência em 2007 onde convidava os muçulmanos para um diálogo racional, qual foi a reação do mundo muçulmano? Uma arruaça geral, carros quebrados, perseguição a religiosos, tumultos, bonecos do papa queimados... todo tipo de reação 'fora com o cristianismo', 'fora com os infiéis, Alá é grande'. Esta é a situação real.
Enquanto que no Irã milhares são mortos pelo simples fato de serem homossexuais, aqui a Igreja luta contra o reconhecimento das uniões gays para que não sejam equiparadas ao casamento cristão. No ocidente milhares se reúnem para protestar contra o papa por ser contra o casamento gay. Mas não há ninguém gritando que no Irã milhares estão sendo mortos por serem gays.
São dois pesos e duas medidas. Isso é o passe livre para o fanatismo muçulmano e uma mordaça para os cristãos.

Enquanto que em muitos países muçulmanos as mulheres são oprimidas de diversas formas e não têm sequer direitos civis, são objetos submissos dos homens, aqui no ocidente os grupos feministas arrancam os cabelos, rasgam as vestes e queimam os sutiãs protestando que a Igreja não ordena mulheres!
Esse é o passe livre do fanatismo muçulmano versus a tolerância zero com a Igreja, o Papa e tudo o que representa o cristianismo.

Religiosamente falando, os cristãos foram os grandes derrotados na propaganda armada do 11 de setembro.
No ocidente enquanto a Igreja luta para que as pessoas respeitem a vida, manifesta-se contra o aborto e a favor da vida, contra o controle irracional da natalidade pelo uso dos anticoncecionais abortivos que está diminuindo a população cristã do planeta, fazendo com que a Europa se torne um continente cada vez mais envelhecido... sempre aparece um politicamente correto de plantão, alguém que quer controlar a natalidade, e dizer que a Igreja quer aumentar pobreza no mundo(!), culpada pela pobreza do planeta.... mas não abre a boca para o fato de que os muçulmanos se multiplicam como coelhos!
Veja, eles não estão errados, ao contrário, estão certos, porque criança é uma bênção, é um dom e quanto mais filhos melhor! Mas o passe livre continua... enquanto que a Igreja é o boneco que deve ser malhado e condenado.

Vamos atar a lógica das coisas. Os fatos mostram que existe no ocidente por parte da elite globalista e da mídia atéia e materialista uma guerra contra o cristianismo, promovida pelos donos dos meios de comunicação, dos donos da 'nova cultura ocidental', que querem destruir o cristianismo.
Enquanto isso, dão passe livre aos radicais muçulmanos pois, - por enquanto -, eles são aliados nessa guerra contra o cristianismo.
Sobretudo aquele cristianismo internacional que tem maior expressão internacional, a Igreja Católica, a grande perdedora do 11 de setembro.
O grande vencedor final poderá ser o ateísmo da elite globalista ou a religião muçulmana. Não sabemos. Mas sabemos com certeza que ambos estão contra o crstianismo.

Nós cristãos temos porém uma convicção: as portas do inverno não prevalecerão.
Sabemos que as forças malignas são grandes, mas sabemos que não estamos sozinhos. Não fiquemos pois em tocas escondidos, mas tenhamos a coragem de ser cristãos!

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)