IGREJA (1171)'
     ||  Início  ->  
Artigo

A PRINCIPAL MISSÃO DA IGREJA

 

Decreto Ad Gentes sobre a atividade missionária da Igreja, promulgado em 07 de dezembro de 1965: lembra o dever da Igreja de ser “sacramento universal de salvação”, por mandato do seu fundador. Assim como os apóstolos, seguindo o exemplo de Cristo, “pregaram a palavra da verdade e geraram as Igrejas”, cabe aos seus sucessores perpetuar essa obra de propagação do Evangelho, adaptando–a às condições atuais. Para tanto, o Concílio deseja “delinear os princípios da atividade missionária”, para que o povo de Deus continue a difundir por toda parte o reino de Cristo, preparando o caminho para sua volta (Proêmio). “A atividade missionária tende, assim, para a plenitude escatológica (nº9).”

 

A principal missão da Igreja é a obra de evangelização. E o fundamento do evangelho é o anúncio de Jesus Cristo crucificado e ressuscitado (1Cor 2, 2; Ef 2, 6; At 2, 23.24). A Igreja só é católica porque ela é por natureza missióloga mundial.

 

Diante de tantas missões mortíferas e imposições suicidas, a Igreja é a única que oferece gratuitamente a mensagem de vida e vida abundante. Sua missão mundial tem como fundamento a cultura abissal da vida plena.

 

A Igreja é detentora da mais poderosa palavra de salvação. Proclama a verdade libertadora, a justiça, a verdade e a gloriosa paz.

 

Os grandes projetos do sistema são lindos, coloridos, doces, atraentes e propagados, no entanto, o veneno é consumido alegremente. A nossa missão com a Igreja é denunciar esse sistema mortal e anunciar o Projeto do Reino de Deus.

 

O sistema é detentor da cultura de morte. Sua missão é ganhar o máximo que puder com as desgraças e as misérias no mundo inteiro. A máquina do sistema é dominar, escravizar, condicionar e lucrar. Faz da pessoa marionetes, mercadoria e leva ao matadouro. Usa aparentemente a tecnologia e a ciência como bela ferramenta de progresso e de conhecimento dos tempos pós-moderno, no entanto, o objetivo de tantas informações e benefícios é deixar a pessoa virtual, parcial, superficial e infernal.

 

A Igreja como responsável pela proclamação do Projeto do Reino de Deus é a mais poderosa ferramenta da cultura de vida, propulsora da dignidade da pessoa humana e pregadora da libertação total da humanidade.

 

Só a Igreja de Cristo tem substância, coragem e fortaleza para ir contra o sistema dominante com a sua máquina mortífera.

É o Evangelho de Jesus Cristo que tem todo o poder para construção da civilização do amor, da justiça e da paz.

 

Por obediência do seu fundador, a Igreja é tremendamente missionária. Cada católico batizado é um missionário pelo testemunho, pela catequese, na evangelização, nos investimentos: via os dízimos e ofertas e nas sobras de caridade.

 

Somos a Igreja de Cristo, arautos da redenção, discípulos e missionários pela salvação das almas.

 

Tudo por amor ao próximo e para maior glória da Santíssima Trindade, somos missionários felizes!

 

“Os leigos fomentem em si e nos outros o conhecimento e o amor pelas missões, suscitando vocações na própria família, nas associações católicas e nas escolas, oferecendo auxílios de toda Espécie para que o dom da fé, que eles receberam da Igreja, possa ser também oferecido a outros” (Ad Gentes, nº41).

 

“A Missão renova a Igreja, revigora a sua fé e identidade, dá a ela novo entusiasmo e novas motivações. É doando a fé, que se fortalece! A nova evangelização dos cristãos também encontrará inspiração e apoio no empenho pela Missão universal” (João Paulo II, Carta Encíclica Redemptoris Missio, 2).

 

Pe. Inácio José do Vale

Professor de História da Igreja - Instituto Teológico Bento XVI - Sociólogo em Ciência da Religião

Pesquisador do CAEEC (Área Pós-Graduação)

E-mail: pe.inacio.jose@hotmail.com


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)