O QUE É? (1232)'
     ||  Início  ->  
Artigo

O que são os Sacramentais?

 

 

O Catecismo da Igreja ensina que:

 

“Chamamos de sacramentais os sinais sagrados instituídos pela Igreja, cujo objetivo é preparar os homens para receber o fruto dos Sacramentos e santificar as diferentes circunstâncias da vida. Entre os sacramentais, ocupam lugar as bênçãos. Compreendem ao mesmo tempo o louvor a Deus por suas obras e seus dons e a intercessão da Igreja, a fim de que os homens possam fazer uso dons de Deus segundo o espírito do Evangelho” (S1677/8).

 

Além da liturgia, a vida cristã se alimenta de outras formas de piedade popular, enraizadas nas diferentes culturas. A Igreja cuida para esclarecê-las à luz da fé, e valoriza as formas de religiosidade popular que estejam de acordo com o Evangelho e que enriquecem a vida cristã.

 

O objetivo dos sacramentais é consagrar toda a vida do homem a Deus e também o seu ambiente de vida, para que ele esteja livre dos perigos e voltado sempre para Deus, livrando-os sempre dos pecados.

 

Os sacramentais são sinais sagrados, de dois tipos: objetos (medalhas, crucifixos, rosário, escapulário…), e orações, presentes nas bênçãos (alimentos, oficinas, casas, carros, imagens, máquinas, campos, doentes, etc.), nas consagrações (igreja, altar, cálice, Abade, Virgem, criança após o Batismo, esposa, esposo…) e nos exorcismos.

 

O número dos sacramentais é muito grande; à medida que se diversificam as situações da vida moderna, a Igreja também diversifica e aumenta as suas orações; pois nada é profano na vida do homem. Diz a Sacrossantum Concilium que “quase não há uso honesto de coisas materiais que não possa ser dirigido à finalidade de santificar o homem e louvar a Deus” (SC, 61).

 

A eficácia santificadora dos sacramentais é diferente dos Sacramentos. Ela tem a sua força na oração da Igreja e das disposições da pessoa que recebe ou utiliza o sacramental. Esta eficácia é chamada de ex opere operantes Ecclesiae, depende da fé e da devoção do ministro e do fiel, pois é ação de Cristo (ex opere operato).

 

Não se pode exagerar o valor do sacramental, como se fosse um rito mágico ou um amuleto, superstição ou fanatismo. Por outro lado, não se pode desprezar o seu valor, pois o Concílio Vaticano II reafirmou o seu valor e a sua necessidade.

 

O homem é o representante de Deus no mundo, e deve dominá-lo pela técnica e pelo trabalho. Os sacramentais o protegem do mal e não o deixam colocar Deus em segundo lugar. O povo gosta dos sacramentais; quando a Igreja não os dá ao povo, este corre o sério risco de buscar as superstições, amuletos, benzedeiras etc.

 

E qual a diferença entre os Sacramentos e os Sacramentais?

 

 

Os sacramentos foram instituídos por Cristo Jesus para outorgar graça e santificar.

O sacerdote evoca através, das palavras ensinadas por Nosso Senhor Jesus Cristo, a graça; e ela se manifesta santificando os objetos e as pessoas,purificando-os. Conduzindo-os à salvação.

 

Os sacramentais, por seu turno, foram instituídos pela Igreja, com a autoridade investida por Nosso Senhor Jesus Cristo, para cumprir sua missão salvífica na Terra.

Os sacramentais são “signos sagrados imitando de alguma maneira os sacramentos, expressam efeitos, principalmente espirituais, obtidos pela intercessão “Catecismo n.1667; cf. Lei Canônica (Canon 1166).

 

Eles operam “ex opere operantis ecclesiae”,literalmente do latim: “por ação da Igreja “.

Os Sacramentos, por sua vez, efetivam-se “ex opere operato”, ou seja por sua ação própria, pela ação mesma da graça.

 

Prof. Felipe Aquino


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)