ABORTO (744)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Mais pretexto para o aborto

 

Sergio Sebold

Economista e professor independente

seboldunico@gmail.com

 

Nas minhas relações sociais onde tive a oportunidade de conversar com pessoas ligadas ao sistema de saúde (SUS) sobre a estrondosa repercussão feita pela mídia no Brasil sobre o “Zika vírus”, de cara me foi dito (em off) de que não passava de um boato alarmista para desviar a atenção da sociedade dos problemas políticos que estavam aflorando nos fóruns da Justiça. Assim, em diversas oportunidades e formas, foram se delineando varias versões sobre esta “epidemia brasileira”. É evidente de que qualquer surto deva ser investigado a fundo e não ser relegado a mais uma prova de resistência humana desde os tempos remotos.

 

Recentemente, algumas pessoas sérias ligadas aos meios científicos da medicina criaram coragem em fóruns fechados, - quase sempre sem a presença da grande mídia -  demonstrando claramente que as coisas não são como procura se apregoar; por um governo da época que perdeu todos os créditos pelas mentiras, procurando impor com a doutrina do gramscismo o aborto a qualquer custo no país. Os 10 milhões de brasileiros que foram às ruas em Março/2016 é uma prova que a sociedade já sabe da verdadeira intenção do Lulopetismo.

 

A Dra. Elizabeth Kippman, ginecologista obstetra e o Jurista Dr. Paulo Leão, demonstraram que a infecção causada pelo Zika vírus não tem relação comprovada com o surto da microcefalia no Brasil durante uma conferência proferida dia 28 de Abril de 2016, no Clube Homs, situado na Avenida Paulista (IPCO). A afirmação de que o mosquito “aedes aegypti” portador do vírus Zika, para os mais íntimos, realmente não fosse o vilão da microcefalia, seria um tanto temerária diante da publicidade imensa desenvolvida pelo governo; tudo suposta e “cientificamente” comprovado na linguagem oficial. Mas a máscara agora caiu. O grande interesse, e isto a nível mundial, era encontrar e justificar mais uma oportunidade para descriminalizar o aborto, diante de um suposto perigo iminente de uma epidemia de microcefalia.

 

Pela exposição didática da Dra Kippman, não há provas de que a microcefalia seja provocada pelo Zika; ou seja, surpreendentemente nos mapas do próprio Ministério da Saúde, o estado de Mato Grosso aparece em primeiro lugar com casos de incidência do Zika (considerando que há ainda os da dengue e a chikungunya) pelo vetor “aedes egyti” e o Nordeste por último. Já no mapa com ocorrência da microcefalia, o nordeste está disparadamente na frente, particularmente o estado de Pernambuco, enquanto no Mato Grosso nem aparece. Tem algo estranho! Qual seria então a causa da ocorrência da “micro” em Pernambuco e nada no Mato Grosso?

 

Naquela mesma oportunidade pela exposição do Dr. Leão, foi denunciado que houve a aplicação concomitante e particularmente na região nordeste, da tríplice vacina contra sarampo, coqueluche e rubéola, descuidadamente em gestantes, ou pelo menos três meses de gestação. Tal restrição consta dos avisos do laboratório fabricante da vacina. Provavelmente não houve a devida cautela na campanha de vacinação. Este fato foi constatado por Dr. Plínio Bezerra dos Santos Filho, com titulação em PhD nos Estados Unidos, o qual fez denúncia no Ministério Público, como crime praticado contra a população brasileira, pela sequência de erros e procedimentos grosseiros do Ministério da Saúde, SUS e institutos associados. Os fatos constatados da microcefalia em seu pico coincidem com aquela campanha de vacinação.  Salvo casos muito restritos, a mídia não teve esta informação, ou “não tinha interesse” de divulgar.

 

Pesquisas mais recentes associam a maior incidência pela promiscuidade urbana na falta de saneamento básico nas regiões mais pobres de Pernambuco. Para fechar, deve-se destacar que nos Estados Unidos concentra-se o maior índice de microcefalia, e lá não havia surto de nosso aedes aegypti. Eles não voaram para lá. No Suriname, embora tenha havido um surto epidêmico do Zika, não houve incidência da microcefalia. Num estudo recente divulgado pela New England Complex Systems Institute, numa pesquisa em 12.000 mulheres colombianas grávidas que participaram – todas diagnosticadas com zika – nenhuma delas teve filho como microcefalia. Isso põe por terra que exista qualquer relação de causa e efeito entre Zika e microcefalia!

 

Mas, infelizmente, os abortistas como uma tropa de choque, estão atentos para qualquer causa, onde através da capa de (pseudos) cientistas começam a defender o aborto dos bebês com microcefalia. No caso, associam como certo e definitivo que o grande vilão é o Zika, através de seu vetor o Aedes. E agora?

 

Embora a Bíblia não trate especificamente ou diretamente sobre a questão do aborto (especulamos que o tema era extremamente abominável), há inúmeras passagens nas Escrituras que deixam claríssima a visão de Deus sobre o aborto. Jeremias 1:5 “Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já havia te consagrado, e te havia designado profeta das nações”. Há uma citação de Paulo na sua primeira Epístola aos Corintios, Cap 3: 16 e 17: “Não sabeis que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus que sois vós é sagrado.”

 

Para os cristãos, o aborto não é uma questão sobre o que a mulher tem o direito de escolher, por mais dramática que seja uma gravidez, é uma questão de vida ou morte de um ser humano feito a imagem de Deus (Genesis 1:26,27; 9:6)

 

A intenção abortista adquiriu tal proporção em nosso país que até com a saúde pública não se tem mais escrúpulos para se manter no poder e no controle. O evento, mesmo cientificamente desmascarado, deu oportunidade para que organismos internacionais da ONU e a OMS usassem a febre Zika como pretexto para criar novos protocolos com o intuito de disseminar a prática do aborto pelo mundo.

 

Artigo atualizado em 31/12/16

 

------------------- 

Acesse:

http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=1796

http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=2686

http://www.pr.gonet.biz/kb_read.php?pref=htm&num=2982

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)