REVISTA PeR (1670)'
     ||  Início  ->  
Artigo

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 381 – fevereiro 1994

BATISMO DA NEW CHURCH (NOVA IGREJA)

 

Merece registro a seguinte Declaração, vinda de uma das Congregações da Cúria Romana:

"Perguntaram a esta Congregação para a Doutrina da Fé se o batismo ministrado na comunidade chamada The New Church (A Nova Igreja), de Emmanuel Swedenborg, é válido ou não.

 

Após atento exame do caso, esta Congregação decide que se deve responder: Não.

Roma, 20 de novembro de 1992 Joseph, Cardeal Ratzinger"

(Texto extraído de La Documentation Catholique, no 2082, 21/ 11/1993, p. 998).

 

 

COMENTÁRIO

 

1. The New Chrch é mais um dos movimentos religiosos que se têm propagado com grande ímpeto no mundo contemporâneo. Seu fundador, Emmanuel Swedenborg (1688-1772), foi um cristão sueco, estudioso de assuntos de espiritualidade numa linha tendente ao esoterismo. Em 1745 começou a examinar os fenômenos psíquicos — o que o levou a crer que era agraciado com revelações vindas do além. Passou a negara SS. Trindade, aceitando apenas Jesus Cristo como Deus. Posteriormente julgava que Cristo voltara à Terra em 1757. A "Igreja Nova Jerusalém" foi fundada em 1788 após a sua morte, anunciando as teses expressas nas obras de Swedenborg, como Arcana Caelestia (1749-56) e Hierosolyma (Jesusalém) Nova (1751).

Emmanuel Swedenborg, com suas revelações e concepções místicas, é um dos precursores da Nova Era, ponto de confluência de doutrinas esotéricas, místicas e comunicações (channeling) com os mortos...

 

2. A Igreja Católica reconhece o Batismo ministrado até mesmo por ateus (visto que é o sacramento do renascer para a vida eterna), contanto que se cumpram as seguintes condições:

a)   O ministro tenha a intenção de fazer o que Cristo, mediante a sua Igreja, faz quando Ele batiza. Com efeito, os sacramentos têm por Sacerdote principal o próprio Jesus Cristo, sendo o ministro humano apenas a mão estendida de Cristo; daí a necessidade de que o ministro tenha a intenção de fazer o que Cristo Sacerdote realiza através da sua Igreja; queira o ministro humano prestar-se a isto, embora não tenha a fé em Jesus Cristo Deus e Homem.

b)   O ministro, animado portal intenção, aplique exatamente a matéria e a forma do sacramento, ou seja, no caso do Batismo água natural e as palavras: "Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo".

 

Ora é de crer que os ministros da "Nova Igreja de Jerusalém" não preencham as condições enunciadas. Sem dúvida, as concepções doutrinárias dessa comunidade são muito diferentes daquilo que a Igreja Católica professa, de modo que o Batismo da "Nova Igreja" só tem em comum com o Batismo cristão o nome de Batismo.

 

Dom Estêvão Bettencourt


GoNet - PR
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
-

:-)