||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 395 
homem = 9 
morte = 7 
sófocles = 5 
jesus = 4 
paulo = 4 
ressurreição = 4 
cristo = 4 
mortos = 3 
jesus cristo = 3 
deus = 3 
PeRReflexões Ó Morte, onde está tua vitória? (0.61) Estêvão Bettencourt 1500
#233 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, morte]

Para Sófocles, a morte é a grande e inevitável bofetada no homem, dominador da natureza gigantesca. Nada a fazer contra ela...
2 #REVISTA = 395 
jesus = 88 
milagres = 46 
deus = 12 
caso = 11 
milagres jesus = 10 
milagre = 9 
sinais = 9 
homens = 8 
apolônio = 7 
nome = 7 
PeRDoutrina Milagres de Jesus: Fatos e Significado (1.51) Estêvão Bettencourt 3720
#234 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, milagres, messias, sinais]

Note-se o estilo singular segundo o qual Jesus realizava milagres: nunca em seu favor, jamais para punir, sem teatralidade, com discreção e sobriedade. Estas características diferenciam bem os milagres de Jesus dos que os taumaturgos dos judeus ou pagãos tenham realizado, e testemunham em favor da historicidade de tais feitos. Estes são entendidos por Jesus e pela Tradição dos Apóstolos como sinais (semeia, em grego) que explicitam a vinda do Messias e do Reino de Deus.
3 #REVISTA = 395 
ciência = 16 
universo = 8 
religião = 6 
deus = 6 
começo = 5 
capítulo = 5 
grande = 4 
notável = 4 
big-bang = 4 
autor = 3 
PeRLivros A Religião e a Ciência (0.58) Estêvão Bettencourt 1425
#235 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, ciência, fé, ciência e fé, Benjamin Franklin]

O livro é notável por suas informações e o linear encaminhamento de suas conclusões. É para desejar que caia em mãos de muitos e muitos leitores, que o poderão apreciar se tiverem a base cultural que o segundo grau de nossos estudos proporciona.
4 #REVISTA = 395 
deus = 29 
cristo = 25 
igreja = 21 
comunhão = 18 
patriarca = 14 
jesus = 14 
concílio = 13 
monofisitas = 12 
igrejas = 12 
paulo = 12 
PeRNotícias Monofisitas Professam a Fé de Calcedônia (1.18) Estêvão Bettencourt 2905
#236 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, monofisismo, nestorianismo, Calcedônia]

Aos 11/11/94 a comunidade cristã monofisita da Assíria (Iraque), representada por seu Patriarca Mar Dinkha IV, e o S. Padre João Paulo II assinaram uma Declaração conjunta que professa a fé em Cristo como definida pelo Concílio de Calcedônia em 451 e como fora guardada pela Igreja Católica através dos séculos.
5 #REVISTA = 395 
igreja = 24 
protestantes = 11 
cristo = 11 
cristã = 10 
evangélica = 9 
cristã evangélica = 9 
jesus = 9 
igreja cristã = 9 
outras = 8 
prof = 7 
PeRProtestantismo Igreja Cristã e Evangélica (1.28) Estêvão Bettencourt 3139
#237 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, Eurípedes de Menezes, protestantismo, Lutero, Zuinglio, , fundamentalistas, contra-reforma, eucaristia, presbiterianos, metodistas, batistas]

O Prof. Eurípedes Cardoso de Menezes responde a um amigo presbiteriano que lhe enviou um folheto intitulado "Sete Diferenças Fundamentais entre a Igreja Católica e a Igreja Cristã Evangélica". O texto, que vai a seguir, publicado, mostra que não existe Igreja Cristã Evangélica, visto que o protestantismo não é uno, mas congrega sob o nome "protestante" as correntes mais diversas e contraditórias de pensamento religioso; diferem entre si não apenas no acidental, mas também no essencial, como é o conceito de Jesus Cristo. "Se da soma de todas as denominações surgisse mesmo uma Igreja Cristã Evangélica, com que Símbolo de Fé, com que Credo viria à luz? Não é possível existir uma Igreja Cristã Evangélica a não ser que seja uma igreja adogmática, sem doutrina. Nesse caso não seria nem Igreja, nem Cristã nem Evangélica".
6 #REVISTA = 395 
diocese = 18 
aparições = 17 
alto = 15 
nova = 14 
sebastião = 14 
friburgo = 14 
sebastião alto = 13 
nova friburgo = 13 
senhora = 11 
bispo = 10 
PeRAparições Aparições em São Sebastião do Alto (RJ) (1.36) Estêvão Bettencourt 3334
#238 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, aparições, nossa senhora, misticismo]

As aparições de Nossa Senhora em São Sebastião do Alto, diocese de Nova Friburgo (RJ), foram examinadas pelos Srs. Bispos D. Clemente Isnard (emérito) e D. Alano Maria Pena (residencial). Ambos concluem que não se pode dar crédito aos fenômenos mencionados nem às mensagens atribuídas a Nossa Senhora. Daí a advertência aos fiéis no sentido de que se abstenham de peregrinações ao lugar das "aparições".
7 #REVISTA = 395 
vale = 27 
branca = 23 
seta branca = 22 
seta = 22 
amanhecer = 20 
vale amanhecer = 19 
neiva = 17 
terra = 11 
grande = 10 
doutrina = 8 
PeRO Que É? Vale do Amanhecer (5.70) Estêvão Bettencourt 13991
#239 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, espiritismo, esoterismo]

O Vale do Amanhecer é uma vila religiosa situada a 50 km do Plano Piloto de Brasília, contando com uma população fixa de 4.000 pessoas. Nessa Vila há um grande Templo, de índole espírita esotérica, 700 residências, um Orfanato para 200 crianças, restaurante, lanchonete, pequeno comércio... A fundadora da Congregação religiosa é a Sra. Neiva Chaves Zelaya (Tia Neiva), falecida em 1985. Como se diz, recebia mensagens de "espíritos desencarnados", sendo o principal o Pai Seta Branca.
Ver comentários...
8 #REVISTA = 395 
papa = 25 
homem = 16 
livro = 11 
amor = 9 
cristo = 9 
vida = 8 
deus = 8 
humano = 7 
paulo = 6 
deste = 6 
PeRLivros Cruzando o Limiar da Esperança (1.10) Estêvão Bettencourt 2691
#240 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, papa, João Paulo II, jovens, Vittorio Messori]

O Papa João Paulo II publicou um livro que foge ao estilo dos documentos oficiais da Igreja. Vem a ser a livre expansão dos sentimentos do Pontífice frente a questões fundamentais que lhe foram colocadas em estilo jornalista pelo entrevistador Vittorio Messori.
9 #REVISTA = 395 
aborto = 13 
número = 8 
abortos = 7 
legalização = 6 
comissão = 5 
número abortos = 5 
casos = 4 
bélgica = 4 
13762 = 3 
presumido = 3 
PeRAborto Legalização do Aborto na Bélgica (0.95) Estêvão Bettencourt 2335
#241 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, aborto, Bélgica, legalização, notícias, jornalismo]

Na imprensa cotidiana colhemos duas noticias referentes à legalização do aborto na Bélgica. A primeira exalta a medida legislativa, fornecendo dados numéricos. A segunda denuncia a tendenciosidade e o sofisma da notícia anterior. Donde se vê, mais uma vez, quão necessário se faz um certo senso crítico a todo leitor de jornais, pois não poucas informações divulgadas pela imprensa obedecem a preconceitos e procuram persuadir o leitor de que o mal é um bem.
10 #REVISTA = 395 
jesus = 7 
humor = 4 
evangelho = 4 
deus = 3 
livro = 3 
maria = 3 
grande = 3 
senhora = 2 
autor = 2 
texto = 2 
PeRLivros Com a Graça de Deus (0.57) Estêvão Bettencourt 1391
#242 Abril 1995, 01 [395, abril 1995, maria santíssima, anjos, Fernando Sabino]

O autor é renomado escritor mineiro. Propõe uma paráfrase do texto do Evangelho, tentando assim apresentar a vida de Jesus com humor, ou seja, num estilo descontraído e, por vezes, jocoso. A leitura é fácil e pode ser agradável. Todavia o texto é, não raro, impróprio por incidir em erros e imprecisões doutrinárias.