||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 531 
tempo = 5 
cada = 3 
deus = 3 
homem = 3 
mundo = 2 
deste = 2 
grande = 2 
preencher = 2 
cristão = 2 
silêncio = 2 
PeRReflexões Amanhã pode ser tarde demais (0.75) Estêvão Bettencourt 1605
#1400 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, transitoriedade, vigilância, tempo]

"Muitos não puderam quando deviam poder, porque não quiseram quando podiam" (Anônimo). Tal é a expressão de uma dura realidade;... a realidade de haver perdido um grande valor por negligência própria. A situação assim configurada não é rara e sugere algumas reflexões.
2 #REVISTA = 531 
deus = 47 
auschwitz = 14 
homem = 10 
papa = 8 
bento = 6 
concentração = 6 
palavras = 6 
resposta = 5 
discurso = 5 
campo = 5 
PeRTeologia O Silêncio de Deus (1.13) Estêvão Bettencourt 2434
#1401 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, Auschwitz, judeus, silêncio, Deus, onipotência]

O Papa Bento XVI esteve no campo de concentração nazista de Auschwitz (Polônia), onde proferiu um discurso que deixou muitos leitores perplexos. Com efeito, fazendo eco a quantos outrora o disseram, interrogou: "Onde estava Deus naqueles dias?". Eis, porém, que não deixou a pergunta sem resposta, pois, logo a seguir, acrescentou que Deus não estava ausente, mas que "não podemos perscrutar os desígnios de Deus... e nos enganamos quando queremos converter-nos em juízes de Deus e da história". Estas palavras evidenciam que o Papa não quis acusar Deus de omissão, mas atribuiu a perplexidade ao nosso limitado modo de entender os desígnios de Deus mais sábio do que nós.
3 #REVISTA = 531 
judas = 31 
jesus = 30 
evangelho = 13 
texto = 11 
evangelho judas = 11 
matéria = 10 
origem = 8 
homem = 6 
nenhum = 6 
mundo = 6 
PeREscrituras O Evangelho de Judas, complemento (1.05) Estêvão Bettencourt 2270
#1402 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, evangelho, Judas, Jesus Cristo, gnose, gnosticismo, matéria, espírito]

O Evangelho de Judas, recentemente publicado em inglês, é um texto de origem gnóstica. Pretende reabilitar Judas como sendo o discípulo que melhor conheceu Jesus; entregou-o aos adversários para que, morrendo, fosse libertado do seu corpo, tido como matéria má e cárcere do verdadeiro homem que essa matéria envolvia. - Ora o pensamento gnóstico, que deu origem a esse escrito, não é cristão; o dualismo (a matéria é má, o espírito é bom) não se compatibiliza com a mensagem bíblica, que vê na matéria uma criatura boa de um Deus bom. Aliás não foi Judas quem escreveu tal Evangelho, visto que o texto original grego deve datar de 150 aproximadamente. Atribui-se a origem de tal texto a uma seita gnóstica dita "dos cainitas", seita que tendia a exaltar os personagens delituosos que a Bíblia apresenta: Caim, a serpente, os sodomitas, Coré... Assim entendido, o Evangelho de Judas não altera as clássicas concepções relativas à origem do Cristianismo.
4 #REVISTA = 531 
verdade = 19 
relativismo = 17 
deus = 14 
igreja = 11 
homens = 10 
humano = 10 
homem = 10 
liberdade = 9 
direito = 7 
absoluta = 7 
PeRO Que É? Relativismo (0.72) Estêvão Bettencourt 1560
#1403 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, filosofia, relativismo, Descartes, fundamentalismo, Concílio Vaticano II, verdade, realidade]

O relativismo é uma corrente que nega toda verdade absoluta e perene assim como toda ética absoluta, ficando a critério de cada individuo definir a sua verdade e o seu bem. Opõe-se-lhe o fundamentalismo, que afirma peremptoriamente a existência de algumas verdades e algumas normas fundamentais... O individuo se torna o padrão ou a medida de todas as coisas. Tal atitude está baseada em fatores diversos, entre os quais o historicismo: com efeito a história mostra que tudo evolui e se tornam obsoletas coisas que em tempos passados eram plenamente válidas. A Igreja rejeita o relativismo, mas também não aceita o fundamentalismo: ao lado de verdades e normas perenes, existem outras, de caráter contingente e mutável. Ao cristão toca o dever de testemunhar ao mundo de hoje que a profissão de fé e a Moral católicas nada têm de obscurantista e de recusa dos autênticos valores da civilização contemporânea.
Ver comentários...
5 #REVISTA = 531 
morte = 23 
organismo = 21 
vida = 18 
temperatura = 18 
corpo = 17 
congelamento = 14 
paciente = 13 
processo = 13 
coma = 12 
caso = 12 
PeRÉtica e Moral Congelar para Reviver (1.29) Estêvão Bettencourt 2771
#1404 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, criogenia, crioterapia, congelamento, hibernação, ressurreição, alma, corpo]

Gelado mas rico! Vai tomando vulto crescente o número de pacientes que desejam ser congelados, caso cheguem ao estado de coma, na expectativa de ser descongelados logo que a ciência médica descubra o tratamento adequado para lhes restituir a saúde. Alguns estão mesmo fazendo depósitos de elevadas quantias de dinheiro que pretendem utilizar quando tiverem recuperado a saúde após a hibernação.
6 #REVISTA = 531 
possui = 2 
bandeja = 2 
cada possui = 1 
entristeça = 1 
cartão cada = 1 
cada = 1 
devolve-a cartão = 1 
flores devolve-a = 1 
cartão = 1 
ignorância = 1 
PeRSabedoria O que você possui? (0.60) Estêvão Bettencourt 1284
#1405 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, coração]

"A língua do sábio adorna o conhecimento, mas a boca dos tolos derrama a estultícia" (Prov 15, 2).
7 #REVISTA = 531 
milagre = 26 
deus = 15 
cura = 14 
leis = 14 
lourdes = 11 
natureza = 8 
milagres = 8 
naturais = 7 
curas = 7 
nada = 6 
PeRMilagres Curas milagrosas, como entender? (0.86) Estêvão Bettencourt 1849
#1406 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, milagres, Lourdes, onipotência, ciência, física]

O artigo considera as objeções que se levantam contra a possibilidade de haver milagres. O milagre é compatível com a Sabedoria Divina e não anula as leis da Física. Quanto às curas milagrosas, cinco condições são formuladas para que se possa identificar o milagre, que, de resto, é sempre associado a interesses religiosos; é um sinal ou um linguajar eloquente, e não um show da Onipotência Divina.
8 #REVISTA = 531 
sangue = 7 
pulso = 5 
condenado = 5 
cientista = 5 
você = 4 
efeito = 4 
frasco = 4 
válvula = 4 
melhor = 3 
teria = 3 
PeRCiência e Fé O Poder da Sugestão - Efeito Placebo (0.81) Estêvão Bettencourt 1748
#1407 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, sugestão, auto-sugestão, placebo, medicina]

O "placebo" é um remédio aparente apenas, como um pouco de água colorida por um ingrediente inócuo, incapaz de fazer bem ou mal. Todavia é ministrado ao paciente como sendo o mais recente e eficaz produto da indústria farmacêutica. O paciente é assim sugestionado e ingere o aparente remédio. Por efeito da sugestão, passa a se acalmar confiante, dorme melhor, alimenta-se melhor, sente o ânimo muito esperançoso. Em consequência o organismo reage melhor à moléstia e se encaminha para a cura. Todo o efeito é de mera sugestão...
9 #REVISTA = 531 
mentira = 44 
verdade = 18 
restrição = 10 
restrição mental = 10 
mental = 10 
resposta = 9 
deus = 8 
próximo = 8 
alguém = 8 
sentido = 8 
PeRÉtica e Moral Mentir é sempre pecado? (1.06) Estêvão Bettencourt 2288
#1408 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, mentira, verdade, Santo Agostinho, São Tomás de Aquino, Aristóteles, Lutero, escrituras]

A S. Escritura é peremptória ao repudiar a mentira tanto no Antigo como no Novo Testamento. Nos primeiros séculos do Cristianismo houve hesitação a respeito por causa das "mentiras dos Patriarcas" e por influência da Filosofia grega, que, com raras exceções, admitia a mentira para salvar alguém de uma situação embaraçosa. A partir de S. Agostinho (+430), porém, tornou-se unânime a condenação da mentira na Teologia católica. Há casos todavia em que a verdade deve ser guardada sob sigilo; isto não justifica dizer o contrário da verdade, mas propicia o recurso a uma locução que o bom entendedor compreenderá como recusa de resposta; tal recurso chama-se "restrição mental em sentido amplo".
10 #REVISTA = 531 
jesus = 16 
brown = 8 
igreja = 7 
grande = 6 
obra = 6 
código vinci = 5 
livro = 5 
cristãos = 5 
vinci = 5 
código = 5 
PeRMundo Atual Grande Negócio, Grande Fraude (0.58) Estêvão Bettencourt 1252
#1409 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, código Da Vinci, Judas, traição, dinheiro, Jesus Cristo]

O Sr. Arcebispo de Pamplona e Bispo de Tudela (Espanha), Mons. Fernando Sebastián Aguilar publicou aos 20 de maio 2006 uma Carta Pastoral sobre "O Código Da Vinci", que vai, a seguir, transcrita em tradução portuguesa.
11 #REVISTA = 531 
festas = 24 
bebidas = 20 
alcoólicas = 16 
bebidas alcoólicas = 16 
igreja = 10 
pastoral = 8 
alcoólicas festas = 7 
comunidade = 7 
álcool = 6 
nossas = 6 
PeRPrática Cristã Bebidas alcoólicas e festas de igreja (0.87) Estêvão Bettencourt 1870
#1414 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, álcool, drogas, bebidas, festas, igreja, pastoral, dom Orlando Brandes]

Como bispo de Joinville, D. Orlando Brandes condena o uso de bebidas alcoólicas nas festas de igreja. Firma sua posição sobre doze itens que manifestam a inconveniência de fomentar o alcoolismo.
12 #REVISTA = 531 
médico = 4 
porta = 3 
cachorro = 2 
lado = 2 
outro lado = 2 
abriu = 2 
aqui = 2 
outro = 2 
entrou = 2 
sabia = 2 
PeRReflexões O que há no além? (0.48) Estêvão Bettencourt 1027
#1415 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, além, fé]

A fé católica conhece várias maneiras de responder a esta pergunta. Entre elas pode-se destacar a seguinte imagem...
13 #REVISTA = 531 
nome = 5 
almas = 3 
igreja = 3 
outras = 2 
imprimatur = 2 
desmentiu = 2 
previsões = 2 
século = 2 
numérico = 2 
valor numérico = 2 
PeREscatologia O dia 06/06/06 (0.85) Estêvão Bettencourt 1828
#1416 Setembro 2006, 15 [531, setembro 2006, catástrofes, profecias, dom Orlando Brandes]

A respeito do dia 06/06/06 (666), sexto dia do sexto mês do sexto ano do século XXI, circularam profecias sinistras, que a própria história de tal dia desmentiu. O fato merece ser registrado, pois ajuda a guardar sobriedade e reservas frente a previsões de calamidades que são frequentemente propagadas, apavorando pessoas mais sensíveis.